segunda-feira, 5 de março de 2018

Origens dos Furtado de Mendonça e Menezes (CE e RN)


O português escrivão criminal Antônio Furtado de Mendonça e Menezes era natural da ilha da Madeira, nascido no dia 15 de agosto de 1789 e falecido em Ceará-Mirim em 1886. Viajou para o Estado do Ceará, onde se casou em 18 de novembro de 1814 com Isabel Ferreira Cavalcante, filha do casal José Rodrigues da Silva e Maria Ignácia Cavalcanti de Albuquerque, deixando grande descendência, que se espalhou pelo Estado do Ceará, no Estado do Rio Grande do Norte, através das regiões de Santa Cruz, Ceará – Mirim, Taipu e João Câmara. Foi proprietário da Fazenda Jaguaretama no Ceará e senhor de engenho no RN. A seguir conseguimos estabelecer o nome de todos os seus 8 trisavós.

Eis o termo de batismo do português Antônio Furtado de Mendonça e Menezes:


Em os dezanove do mês de Agosto de mil sette centos e oitenta e nove annos eu o Cura desta Igreja Colegiada de Nossa Senhora da Conceição da Villa do Machico abaxo assignado: nella baptizei e fis os exorcismos e pus os Santos Oleos a ANTONIO nascido aos quinze do corrente mes, filho de José Furtado de Mendonça e de sua molher Dª Maria de Menezes ambos naturais desta Freguezia e moradores no Paraíso desta ditta Villa, foi padrinho Manoel Barreto Tragunde, que este termo comigo assignou. Era ut supra. O Cª José Joaqm de Gouvea. M.el Barrtº Trage. (Livro de Batizados de 1784 a 1791 da Freguesia de Machico, Ilha da Madeira, p. 231).


Termo de casamento do português Antônio Furtado de Mendonça e Menezes e Isabel Ferreira Cavalcante:


Aos dezoito do mes de novembro do ano de mil oitocentos e catorze na fazenda Almas da Freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Riacho do Sangue. Feitas as denunciações na forma de direito sem resultar impedimento em minha presença se casou em face da Igreja solenemente por palavra de presente Antônio Furtado de Mendonça e Meneses, solteiro, natural e morador da Freguesia da Santa Sé do Bispado de Funchal da Ilha da Madeira, filho legítimo do falecido José Furtado de Mendonça e de Maria de Meneses, com Isabel Ferreira Cavalcante, solteira natural e moradora nesta Freguesia do Riacho do Sangue, filha legítima do Capitão José Rodrigues da Silva e da falecida Maria Inácia Cavalcante, tendo presentes por testemunhas o Coronel António Bezerra de Sousa e o Capitão Miguel José de Queiroz, casados, aquele morador na Freguesia do Quixeramobim, este nesta do Riacho do Sangue, e logo lhes dei as Bençãos conforme aos Ritos da Santa Igreja. E para constar mandei fazer este assento. Por verdade assinei. O Vigário Joaquim López de Lima Raimundez.

Filhos do casal Antônio Furtado de Mendonça e Menezes e de Isabel Ferreira Cavalcante:

F.1- Hermenegildo Furtado de Mendonça e Menezes, nascido aos 03 de dezembro de 1815 e falecido aos 02 de agosto de 1873 com 57 anos.

F.2- José Furtado de Mendonça e Menezes, nascido por volta de 1818.

F.3- Vasco Rogério Furtado de Mendonça e Menezes, nascido aos 13 de julho de 1820 e falecido aos 18 de maio de 1868 com 47 anos.

F.4- Ana Angélica Senhorinha Furtado de Menezes, nascida aos 30 de dezembro de 1822.

F.5- Luduvina Ferreira da Silva, nascida aos 09 de fevereiro de 1824.

F.6- Job Furtado de Mendonça e Menezes, nascido aos 03 de setembro de 1826 e falecido aos 23 de junho de 1917 com 90 anos de idade.

F.7- Cândida Isabel Furtado de Menezes, nascida em 27 de março de 1829.

F.8- Ivo Abdias Furtado de Mendonça, nascido aos 15 de novembro de 1831.

F.9- Antônio Furtado de Mendonça e Menezes Júnior, nascido aos 02 de janeiro de 1833.

F.10- Elpídio Furtado de Mendonça e Menezes, nascido aos 13 de março de 1836 e falecido aos 21 de agosto de 1910 com 74 anos.

1- Pais de Antônio Furtado de Mendonça e Menezes:

José Furtado de Mendonça e Maria de Menezes, naturais de Portugal, casados aos 20 de fevereiro de 1783, na Freguesia de Machico, Ilha da Madeira, Portugal.

Termo de batismo de José Furtado de Mendonça:

Em os vinte e sinco dias do mes de Março de mil sete centos e quarenta e hum, eu, o Rendº Joze Leandro de Azdº Cura desta igrª da Collegª de N. Snrª da Conceição na Vª de Machico baptizei solemnente e pus os Santos Oleos a Joze q nasceu a dezasete do corrente, filho de Vasco Furtado de Mçª e de sua m.er Domingas da Sylva, netto pela pte paterna de M.el Furtado de Mçª e sua m.er Cordula de Mçª, e pela materna netto de Mel Nunes e de sua m.er Isabel da Sylva, todos desta fregª. foi padrº o Rdº Pe. Mel Franco de Sª Dias q comigo se asignou dia mes era ut supra. O Cura Revdº Joze Leandro de Azdº. (Livro de Batizados de 1727 a 1747 da Freguesia de Machico, p 139 v).

Termo de casamento de José Furtado de Mendonça e Maria de Menezes:

Em os vinte dias do mês de Fevereiro de mil sete sentos e oitenta e tres annos eu José Joaquim de Gouvea, Cura da igreja Collegiada de Nossa Senhora da Conceição da Villa do Machico: sendo primeiro corridos os banhos na forma do Sagrado Concillio Tridentino e Constituiçõens deste Bispado, sem impedimento algum asisti ao matrimonio na Capella de S. Christovao desta Villa, por despacho do Exmº e Rmº Senhor Bispo; que legitimou e in facie Eclesia contrahio Joze Furtado de Mendonsa filho legitimo de Vasco Furtado de Mendonsa e de sua legitima molher Domingas da Silva de Mendonsa com Dona Maria de Menezes filha legitima de Joze de Lemos e de sua mulher Dona Mariana de Menezes todos naturais desta Freguezia e moradores por sima desta Villa; aos quais conferi as bençõens matrimoniais: forao testemunhas alem das muitas que se acharao, Antonio Furtado de Mendonsa, e Francisco Furtado de Mendonsa que este termo comigo assignarão era ut supra. O Cura Joze Joaquim de Gouvea. Francº Furtado de Mendonsa. Antonio Furtado de Mendonsa. (Livro de Matrimônios de 1765 a 1791 da Freguesia de Machico, Ilha da Madeira, p. 177).


2- Avós paternos de Antônio Furtado de Mendonça e Menezes:

Vasco Furtado de Mendonça e a 2ª esposa Domingas da Silva e Souza, casados em 13 de agosto de 1738, na Freguesia de Machico, Ilha da Madeira, Portugal.

Termo de casamento de Vasco Furtado de Mendonça e a 2ª esposa Domingas da Silva de Souza:

Em os treze dias do mes de Agosto de mil sette centos e trintha e outo annos eu o Vigrº desta Igrª Collegª de N. Snrª da Conceyção da Vª de Machico Joze Caetano Ribrº da Sylva asisti ao matrimonio q in facie eclesia Contrahio Vasco Furtado viuvo de Maria Frcª nªl desta fregª: filho de M.el Furtado de Mendonsa e de sua m.er Cordolla de Mendonsa já defunctos netto de Luis, digo, netto pela pte paterna de Luis de Mendonsa e de sua m.er Beatriz Callaça, e pela pte materna netto de M.el Perª de Olim, e de sua m.er Maria de Mendonsa todos desta Fregª já defunctos: com Domingas da Sylva de Souza, filha de M.el Nunes Antunes, e de sua m.er Isabel da Sylva Maciel; netta pela pte paterna de Antº Nunes Antunes, e de sua m.er Catherina de Mendonsa, e pela pte materna netta de Roque de Vares Pereyra, e de sua m.er Domingas de Souza, todos desta fregª, e lhes dei as bensõens matrimoniais, sendo lhes corridos os banhos na forma do Sagrado Concil. Trident. e Const. deste Bispado; tiverao impedimtº, que se liquidou como me constou por lncª de dezempedmtº q tiverao a seo favor do muito Reverendo Senhor Dr Provizor , e vigrº geral Bernardo Roiz Nogrª: forao testemunhas entre outros o Capptªm Cabo Mathias Ferreyra da Afonseca, e João Ribrº da Sylva, q comigo assignarao dia, mes e era ut supra. O Vigrº Joze Caetano Ribrº da Sylva. Mathias Ferrª da Afonseca. Joam Ribrº. (Livro de Matrimônios de 1727 a 1747 da Freguesia de Machico, Ilha da Madeira, p. 91 v).

3- Avós maternos de Antônio Furtado de Mendonça e Menezes:

Antônio José Pinto de Lemos e Mariana de Menezes, casados aos 06 de julho de 1754, na Freguesia do Machico, Ilha da Madeira, Portugal.

Termo de casamento de Antônio José Pinto de Lemos e Mariana de Menezes:


Em os seis dias de Julho de mil sette centos e sincoenta e quatro annos eu Manoel Joze da Costa Silva Vigº da Collegdª de Nossa Senhora da Conceição da Villa de Machico no lugar de São Joze do Pyquinho, em que me aprezentou sendo lhes primeiro corridos os banhos, e sem impedimento na forma do Concilio e Constituiçoens do Bispado, assisti ao matrimonio, que legitime in facie Ecila inter se contrahirão Antonio Jozé Pynto de Lemos filho de Gaspar Pynto de Lemos e de sua m.er Maria da Conceição, m.res no Charmenhão; neto paterno de Antonio Calassa e de sua m.er Marianna Furtada, e materno de Joze de Olim e de sua m.er Beatriz Calassa, com D. Marianna de Menezes, filha de Francisco Moniz de Menezes e de sua m.er Marianna Furtada de Vasconcellos, moradores na Ribeyra Secca, netta paterna de Antonio Bayão de Castro, natural do Porto Sancto, e de sua m.er Maria de Moniz, natural desta freguezia da Ribeyra Secca; e materna de Joao de Goes de Vasconcellos e de sua m.er Paula de Moura de Mendonça, moradores no Pouço do Gil e naturais desta freguezia, os quais lhes dei as bençãos matrimoniais. Forao testemunhas alem de muitos prezentes o Alferes Francisco de Olim da Silva e Pedro Furtado, que comigo se assignarao neste termo era ut supra. O Vigrº M.el Joze da Costa Sylva. Francº de Olim da Silva. Pedro Furtado de Vasconcellos. (Livro de Matrimônios de 1747 a 1764 da Paróquia de Machico, Ilha da Madeira, p 87 v).


4- Bisavós paternos de Antônio Furtado de Mendonça e Menezes:

4.1- Manoel Furtado de Mendonça e Córdula de Mendonça, naturais da Ilha da Madeira, Portugal (pais de Vasco Furtado de Mendonça).


4.2- Manoel Nunes Antunes e Isabel da Silva Maciel, que eram naturais da Ilha da Madeira, Portugal (pais de Domingas da Silva e Souza).

Termo de casamento de Manoel Nunes e Isabel da Silva: Casados aos 10 de outubro de 1695.


Em os 10 dias do Mez de 8bro de 1695 nesta Igrª de N. Srª da Conceição da Vª de Machº eu o V.rº abaicho asignado Recebi matrimonialmte a M.el Nunes de Mçª, fº de Antº Nunes e de Catherina de Mçª com Isabel da Sylva, fª de Roque de Varez Perª e de Dªs de Souza. Forao testªs q assignarao este termo o Capptªm Egas Muniz de Menezes, e o Capptªm Andre Carvalho de Vaslºs, e declaro q não hove impedmtº os banhos q lhes forao corridos e não na forma costhumada, e todos meus Freguezes. De q fis o dito termo. O Dr Vigrº Manoel Perª de Castro. Egas Munis de Menezes Andre Carvalho Teixª. (Livro de Matrimônios do período de 1679 a 1707, da Freguesia de Machico, p. 47v).

5- Bisavós maternos de Antônio Furtado de Mendonça e Menezes:

5.1- Gaspar Pinto de Lemos e Maria da Conceição, casados aos 19 de maio de 1725, na Freguesia de Machico, Ilha da Madeira, Portugal (pais de Antônio José Pinto de Lemos).


Termo de casamento de Gaspar Pinto de Lemos e Maria da Conceição: Casados aos 19 de maio de 1725.


Em os dezanove dias do mes de Mayo d emil e septe centos e vinte e sinco annos, eu o Revdº e Cura abacho asignado na Ermyda de Sam Christovao por sima desta Villa de Machico de licensa do mtº Sr. Arcebispo Pºr deste Bispado o Dºr Pedro Alves de Uzel recebi por marido e m.er na forma do Sagrado Concilio Trid e Const. do Bispado a Gaspar Pinto de Lemos filho de Antº Calaça de Galdo e de sua m.er Marianna Furtada já defunctos com Maria da Conceyção filha do Alferes Joseph de Olim da Silva e de sua m.er Beatris Calasa todos freguezes desta colegdª, sendo lhe primrº corridos os banhos sem impedimtº algum excepto o de 2º e 3º grao de consaguinidade em que forao dispensados; forao testªs entre muitas Manoel Doarte de Vlºs e Franca e Manoel Joao de Nosta que este comigo assignarão dia mes era ut supra. O Rndº e Cura Francº de Freitas de Pays. (Livro de Matrimônios do período de 1709 a 1725, da Freguesia de Machico, p. 83).

5.2- Francisco Moniz de Menezes e Mariana Furtado de Vasconcelos, naturais de Portugal, casados aos 07 de junho de 1727, na Freguesia de Machico, Ilha da Madeira, Portugal (pais de Mariana de Menezes).


Termo de casamento de Francisco Moniz de Menezes e Mariana Furtado de Vasconcelos: Casados aos 7 de junho de 1727.


Em os sete dias do mez de junho do anno de mil sete centos e vinte e sete, eu, o Vigrº desta Colegiada Igrª de N. Srª da Conceição da Villa do Machico abaixo assignado asisti ao matrimonio que entre si contrahiram Francisco Moniz de Menezes filho legitimo de Antonio Bayão de Castro e de sua m.er D. Maria de Muniz já defunta com D. Marianna de Vasclºs filha de João de Góes de Mendonça e de sua m.er D. Paula de Moura, todos meus freguezes, sendo lhes corridos os banhos na forma do Sagrado Conc. Trid. e Const. do Bispado; forao testemunhas Antonio Vas de Frtªs, Mathias Ferreira de Afonsequa, o qual este termo se assignarão dia mes e era supra. O Vigrº Silvestre Lopes Bartº. (Livro de Matrimônios do período de 1725 a 1747, da Freguesia de Machico, p. 9v).

6- Trisavós paternos de Antônio Furtado de Mendonça e Menezes:

6.1- Luiz de Mendonça de Vasconcelos e Beatriz Calaça Quental, naturais de Portugal, casados aos 08 de outubro de 1650, na Freguesia de Machico, Ilha da Madeira, Portugal (pais de Manoel Furtado de Mendonça).


Termo de casamento de Luiz de Mendonça e Vasconcelos e Beatriz Calaça: Casados aos 8 de outubro de 1650.


Em os oito dias do mes de outobro de seis centos e cincoenta, eu Antonio Lopes, Beneficiado desta Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Villa de Machico com licença do Reverendo o Doutor Bartholomeu Nunes recebi em face da Igreja na forma do Sagrado Concilio Tridentino e Constituiçoens do Bispado a Luiz de Mendonça filho de Simão Roaz de Mendonça e sua mulher Dona Felippa com Beatriz Callasa filha de Christovao Teixeira Callasa e de D. Anna do Quental todos freguezes desta Igreja, e me assinei aqui com as testemunhas abaicho assignadas, dia, mEs e era ut supra. O Padre Antonio Lopes Antonio Teixeira Callasa Pedro Martins. (Livro de Matrimônios do período de 1648 a 1677, da Freguesia do Machico, p. 6v).


6.2- Manoel Pereira de Olim e Maria de Mendonça, naturais da Ilha da Madeira, Portugal (pais de Córdula de Mendonça).

6.3- Antônio Nunes Antunes e Catarina de Mendonça, naturais da Ilha da Madeira, Portugal (pais de Manoel Nunes Antunes).

6.4- Roque de Vares Pereira e Domingas de Souza, casados aos 07 de outubro de 1669, na Freguesia do Machico, Ilha da Madeira, Portugal (pais de Isabel da Silva Maciel).


Termo de casamento de Roque de Vares Pereira e Domingas de Souza: Casados aos 7 de outubro de 1669.

Em os sete dias do mes de outubro de mil seis sentos secenta e nove annos eu Doutor Vigario digo Doutor Antonio Freire de Andrade Vigario desta colegiada de Nossa Senhora da Conceição da Villa de Machico Recebi em face Eclezia conforme o Sagrado Concilio Tridentino e Constituiçoens do Bispado, a Roque Pereira, filho de Roque de Vares e de Domingas Gonçalves defuntos, com Domingas de Souza, filha de Sebastião Ribeiro, e de Domingas de Souza, todos desta freguezia, testemunhas que prezentes forao Mathias de Mendonça de Vasconcellos e Pedro Dormundo de Figueiredo fidalgos, e outras muitas pessoas que se achavao prezentes, e asignarao comigo dia era ut supra. O Doutor Vigario Antonio Freire de Andrade Pedro Dormundo de Figueiredo Mathias de Mendonça de Vasconcellos. (Livro de Matrimônios do período de 1648 a 1677, da Freguesia do Machico, p. 109v e 110).



7- Trisavós maternos de Antônio Furtado de Mendonça e Menezes:

7.1- Antônio Calaça Freire e Mariana Furtado de Mendonça, casados aos 27 de novembro de 1675, na Freguesia de Machico, Ilha da Madeira, Portugal (pais de Gaspar Pinto de Lemos).


Termo de casamento de Antônio Calaça Freire e Mariana Furtado de Mendonça: Casados aos 27 de novembro de 1675.


Em os vinte e sete dias do mês de Novembro de mil e seis centos e setenta e cinco annos o Reverendo Vigario desta Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Villa de Machico o Doutor Antonio Freire d´Andrade recebeu nela matrimonialmente por marido e mulher a Antonio Callaça Freire filho legitimo de Marcos d´Alegrete, e de Maria Callaça já defuntos, com Marianna Furtada de Mendonça, filha legitima de Gaspar Pinto de Lemos, já defunto, e de Catherina Furtada de Mendonça, os quais forao dispensados por hum Breve Apostolico, que impetrarao do Ilustrustissimo Reverendissimo Senhor Nuncio por serem parentes em terceiro e quarto grao de consanguinidade, e depois de dispensados por mandado do ReverendoProvisor deste Bispado lhe correu os banhosna forma do Sagrado Concillio Tridentino, e não tivendo outro algum impedimento: testemunhas que no tal Matrimonio forao prezentes, e aqui assignarao João Teixeira de Galdo, e Chistovão Teixeira de Galdo, digo, Teixeira Callaça, e outras mais pessoas, que se acharao prezentes, e por assim me constar na verdade, e o dito Reverendo Vigario me dizer, foi assim o tal Recebimento; portanto fiz este termo que affirmo na verdade, e aqui assigno. O Cura João de Mendonça Furtado João Teixeira de Galdo Christovão Teixeira Calassa. (Livro de Matrimônios do período de 1648 a 1677, da Freguesia do Machico, p. 149 v).

7.2- Alferes José de Olim da Silva e Beatriz Calaça Freire, casados aos 26 de fevereiro de 1699, na Freguesia de Machico, Ilha da Madeira, Portugal (pais de Maria da Conceição).

Termo de casamento de José de Olim da Silva e Beatriz Calaça Freire:


Em os 26 dias de Feverº de 1699 na Ermida do Stº S. Christovao por sima desta Villa de Machico de liçª de Rdº Vigrº Gªl Dr. Jozeph Mendes de Vascºs e eu o Vigrº abacho assignado Recebi matrimonialmte p marido e m.er na forma do Sagrº Concº Tridº e constituição desthe Bpdº. sendo lhes prº corridos os Banhos e sem impedimtº algú a Joseph d´Olim da Sylva filho de Manoel d´Olim da Sylva já defº e de Leonor de Freytas de Aguiar com Beatris Callaça Freyre fª de Paulo de Alegrete e de Maria de Viveyros já defunctos. Forao testªs M.el Munis do lgªr da Ponte, e M.el Furtado q comigo assignarao. Todos meus freg.es. De que fis este termo era ut sª.   Manoel Perª de Castro. (Livro de Matrimônios do período de 1679 a 1707 da Freguesia de Machico, p 68 v).

7.3- Antonio Baião de Castro e Maria Muniz de Vasconcelos, casados aos 07 de março de 1698, na Freguesia do Machico, Ilha da Madeira, Portugal (pais de Francisco Moniz de Menezes).

Termo de casamento de Antônio Baião de Castro e Maria Moniz de Vasconcelos:


Em 7 dias de Março de 1698 me consta Recebimtº de Antº Bayam de Castro fº de Pº de Melin de Castro, e de sua m.er Izabel Serpa já defuntta com Dª Maria Munis filha de Duarte Munis e de Dona Mª de Vascºs já defºs por certdao q me veyo da Cid.e do Rdº Pe. Thesourº da S. Sé Fernao Correia da Sylva em como recebera por procurasão dos ditos e em 3 de Mayo do dito anno lhes alncey da Bencaos, sendo lhes prº corridos os Banhos nesta Fregª e na ilha do Porto Stº. Por certidao q me aprezentou o dito pasada pello Rdº Pe. Cura da dita Ilha M.el Pestana de Velloia. Testªs não vieram nomeadas, mas dis forao recebidos na Capella da Sima do Fayal cita nos arrabalde (?) de S. Lourº da mesma c.de … (?) … De q fis este termo q assigney.  O Dºr Vigrº Manoel Perª de Castro. (Livro de Matrimônios do período de 1679 a 1707, da Freguesia de Machico, p 61 v).

7.4- João de Góis de Mendonça e Vasconcelos e de Paula de Moura de Mendonça, naturais de Portugal, casados aos 30 de outubro de 1695, na Freguesia de Machico, Ilha da Madeira, Portugal (pais de Mariana Furtado de Vasconcelos).


Termo de casamento de João de Góes e Mendonça e Vasconcelos e Paula de Moura de Mendonça: Casados aos 30 de novembro de 1695.


Em os 30 dias do mez de 9bro de 1695 nesta Igrª de N. Srª da Conceição da Vª de Machº eu o V.rº abaicho asignado Recebi matrimonialmte a João de Góes d´Mçª Vascºs, filho legitimo de João de Mçª e Vascºs Antº Nunes e de sua May Catherina Callaça Barradas defunctos, com Paula de Moura e Mça, filha legitima de Gªr de Moura de Mçª já defuncto, e de sua May Maria de Andr. Sendo -lhe corridos os Banhos sem have impedmtº. Testªs prestes o Captªm Pdº Drumond, e o Captªm Joao Lomelino de Mça e Vasconsellos, q comigo assignarao. Pdº Massnedo. (Livro de Matrimônios do período de 1679 a 1707, da Freguesia de Machico, p. 47v).

8- Tetravós paternos de Antônio Furtado de Mendonça e Menezes:

8.1- Simão Roaz de Mendonça e a primeira esposa Felipa Vasconcelos, naturais da Ilha da Madeira, Portugal (pais de Luiz de Mendonça Vasconcelos).

8.2- Cristovão Teixeira Calaça e a segunda esposa Ana do Quental, naturais da Ilha da Madeira, Portugal (pais de Beatriz Calaça Quental).

8.3- Roque de Vares e Domingas Gonçalves, naturais da Ilha da Madeira, Portugal (pais de Roque de Vares Pereira).

8.4- Sebastião Ribeiro e de Domingas de Souza, naturais da Ilha da Madeira, Portugal (pais de Domingas de Souza Silva).

9- Tetravós maternos de Antônio Furtado de Mendonça e Menezes:

9.1- Marcos de Alegrete e Maria Calaça, casados aos 14 de junho de 1634, na Freguesia de Machico (pais de Antônio Calaça Freire).

9.2- Gaspar Pinto de Oliveira e Catarina Furtado de Mendonça, casados aos 12 de novembro de 1654, na Freguesia do Machico (pais de Mariana Furtado de Mendonça).

9.3- Manoel de Olim da Silva e Leonor de Freitas de Aguiar, casados aos 09 de fevereiro de 1654, na Freguesia de Machico (pais de José de Olim da Silva).

9.4- Paulo de Alegrete e Maria de Viveiros, casados aos 16 de fevereiro de 1656, na Freguesia de Machico (pais de Beatriz Calaça Freire).

9.5- Pedro Lomelino de Castro e Isabel de Serpa, casados aos 10 de setembro de 1663, na Freguesia de Porto Santo, Ilha da Madeira, Portugal (pais de Antônio Baião de Castro).

9.6- Duarte Moniz Barreto e Maria de Vasconcelos, casados a 07 de fevereiro de 1655 na Freguesia de Machico (pais de Maria Muniz de Vasconcelos).

9.7- João de Mendonça e Vasconcelos e Catarina Calaça Barradas, naturais da Ilha da Madeira (pais de João de Góis de Mendonça e Vasconcelos).

9.8- Gaspar de Moura de Mendonça e Maria de Andrade, casados aos 30 de maio de 1661 na Freguesia de Machico (pais de Paula de Moura Mendonça).

10- Pentavós paternos de Antônio Furtado de Mendonça e Menezes:

10.1- Antônio Furtado de Mendonça e Isabel Barreto de Mendonça (pais de Simão Roaz de Mendonça).

11- Pentavós maternos de Antônio Furtado de Mendonça e Menezes:

11.1- Antônio Nicolau de Alegrete e Beatriz Fernandes (Pais de Marcos de Alegrete).

11.2- Simão Freire e Maria Calaça (pais de Maria Calaça).

11.3- Manoel Pinto de Lemos e Maria Borges de Souza (pais de Gaspar Pinto de Oliveira).
11.4- Antônio Teixeira Calaça e Maria Furtado (pais de Catarina Furtado de Mendonça).

11.5- Manoel Pereira da Silva e Maria de Olim (pais de Manoel de Olim da Silva).

11.6- Manoel Lourenço e Maria de Aguiar (pais de Leonor de Freitas de Aguiar).

11.7- Marcos de Alegrete e Maria Henriques (pais de Paulo de Alegrete).

11.8- João Gonçalves e Maria Vieira (pais de Maria de Viveiros).

11.9- Antônio Baião de Castro e Maria de Ataíde, moradores que foram na cidade de Funchal, naturais de Portugal (pais de Pedro Lomelino de Castro).

11.10- Antônio Coelho de Viveiros e Ana de Carvalho (pais de Isabel de Serpa).

11.11- Gaspar de Moura e Maria Furtado de Mendonça (pais de Gaspar de Moura de Mendonça).

11.12- Antônio Camaxo e Inês de Andrade (pais de Maria de Andrade).

11.13- Simão Teixeira de Vasconcelos e Maria das Neves (pais de Duarte Moniz Barreto).

11.14- Pedro Ferreira de Vasconcelos e Margarida de Matos, naturais de Portugal (pais de Maria de Vasconcelos).

domingo, 4 de março de 2018

Genealogia de Ruy Barbosa


Ruy Barbosa


Ruy Barbosa de Oliveira, natural de Salvador – BA, nasceu aos 5 de novembro de 1849 e faleceu aos primeiro de março de 1923, com 73 anos de idade. Jurista e político radicado no Rio de Janeiro, tornou-se conhecido pela defesa da tese brasileira da igualdade entre as nações realizada na Conferência de Paz, em Haia, em 1917. Homem de cultura e inteligência extraordinárias, foi também escritor e jornalista.

Casado no dia 23 de novembro de 1876 com Maria Augusta Viana Bandeira, nascida em Salvador-BA no dia 23 de outubro de 1855 e falecida no Rio de Janeiro-RJ no dia 27 de abril de 1948, com quem teve os seguintes filhos: Alfredo Ruy Barbosa, Maria Adélia Ruy Barbosa, Francisca Ruy Barbosa, Maria Luíza Vitória Ruy Barbosa e João Ruy Barbosa.

Teve amigos pessoais no Rio Grande do Norte, entre os quais Pedro Velho, Alberto Maranhão, Tavares de Lyra e Antônio de Souza. Os laços de amizade e confiança foram estreitados quando ocorreu uma disputa territorial entre o Ceará e o Rio Grande do Norte em 1901. Contratado pelo Senador Pedro Velho para defender os direitos do Rio Grande do Norte na chamada “Questão de Grossos”, Ruy Barbosa teve 15 dias para escrever a sua tese, valendo-se dos estudos e trabalhos publicados sobre o tema por Tavares de Lyra, Vicente de Lemos e Antônio de Souza. Em 1908, o Rio Grande do Norte venceu a questão, passando por outros votos do Supremo Tribunal Federal, sendo o último em 1920.

Ruy Barbosa virou nome de avenida em Natal e de município em 1963, numa justa lembrança ao homem que ajudou a fazer justiça e nos garantiu a posse de Grossos. Homenageio o ilustre estadista publicando a sua genealogia inédita. Os termos foram transcritos mantendo-se a ortografia original.

2- Pais de Ruy Barbosa:

João José Barbosa de Oliveira, natural de Salvador – BA, nascido aos 2 de julho de 1818 e falecido aos 28 de novembro de 1874 com 56 anos de idade, e Maria Adélia Barbosa de Almeida, natural de Salvador – BA, nascida aos 8 de agosto de 1818, primos em 2º grau.

Observação: João José Barbosa de Oliveira (Pai de Rui Barbosa) era primo legítimo de Luíza Clara Joaquina Barbosa (avó materna de Rui Barbosa), já que ambos eram netos do português Antônio Barbosa de Oliveira e de Ana Maria Barbosa.

3- Avós paternos de Ruy Barbosa:

Rodrigo Antônio Barbosa de Oliveira e Maria Soares Simas, naturais de Salvador – BA.

4- Avós maternos de Ruy Barbosa:

Caetano Vicente de Almeida e Luíza Clara Joaquina Barbosa.

5- Bisavós paternos de Ruy Barbosa:
5.1- Antônio Barbosa de Oliveira, natural da Freguesia de São Nicolau da cidade do Porto, nascido aos 04 de junho de 1728, batizado aos 10 de junho de 1728, e Ana Maria de Souza, natural da Freguesia da Sé de Salvador – BA, nascida aos 20 de abril de 1732, batizada aos 13 de maio de 1732, casados aos 27 de julho de 1750 na Freguesia da Sé de Salvador – BA (pais de Rodrigo Antônio Barbosa de Oliveira).

Termo de batismo de Antônio Barbosa de Oliveira:

Antonio, filho legitimo de Joseph Barbosa, e d esua mulher Barbara do Spirito Santo da fonte acima, nasceo aos coatro dias do mes de junho do anno de mil sete centos e vinte e oito, Baptizei-o áos des do dito mes e anno. Forao Padrinhos Goalter Gomes de Souza, e Dorothea Caethana, por procuração que fez a seu irmão João Gomes de Oliveira, e por vde fis este q asignei com as pesoas abaicho. Porto, dia mez e anno ut supra. Joseph Maria Godinho. Coadjutor João Gomes Nunes. Goalter de Horfans Soares. (Livro de Batizados (1713-1730) da Freguesia de São Nicolau, Conselho do Porto, Distrito do Porto, Portugal, p. 265v).

Termo de casamento de Antônio Barbosa de Oliveira e Ana Maria Barbosa:

Aos vinte e sete de Julho de mil setecentos, e sincoenta, de manhã, nesta Sé, feitas as denunciações na forma do Sagrado Concilio Tridentino nas Matrizes desta Cidade, aonde os Contrahentes são moradores, e ella natural, sem se descobrir impedimento, como consta das certidões dos banhos, e por hua sentença de solteiro do Contrahente do seu natural, passada pelo Muito Reverendo Doutor Juiz dos Casamentos Bernardo Germans de Almeida, o que tudo fica em meo poder, em prezença ,minha, sendo presentes por testemunhas Hyeronimo Pereira Sodré, e o Doutor Francisco Xavier Vaz Pinto, freguezes de São Pedro, e outras muitas pessoas conhecidas, se Receberao em face da Igreja solemnemente por palavras Antonio Barbosa de Oliveira, natural da Freguezia de Sam Nicolao da Cidade do Porto, filho legitimo de José Barbosa, e de Bárbara do Espírito Santo, com Anna Maria Barbosa, natural desta Sé, filha de Luís de Sousa, já defunto, e de Maria da Silva Barbosa, os contrahentes meus freguezes, e logo lhes dei as bençãos na forma do Rito e Cerimonias da Igreja, de que tudo fiz este assento, que por verdade assigney. O Cura Jorge Ferreira de Souza.

6- Bisavós maternos de Ruy Barbosa:

6.1- Caetano Vicente de Almeida e Joana Tereza de Jesus (pais de Caetano Vicente de Almeida).

6.2- Antônio Barbosa de Oliveira Filho, natural da Freguesia da Sé de Salvador – BA, batizado aos 31 de março de 1759, e Inácia Joaquina Soares de Oliveira Serpa, nascida aos 24 de maio de 1769, batizada aos 26 de julho de 1769, casados aos 15 de agosto de 1785 na Freguesia de Santana do Sacramento de Salvador – BA (pais de Luíza Clara Joaquina Barbosa).

Observação: O avô paterno (Rodrigo Antônio Barbosa de Oliveira) de Rui Barbosa de Oliveira era irmão do bisavô materno (Antônio Barbosa de Oliveira Filho) de Rui Barbosa de Oliveira.

7- Trisavós paternos de Ruy Barbosa:

7.1- José Barbosa Rios, natural da Freguesia de São Martinho de Sardoura, Conselho de Castelo de Paiva, Distrito de Aveiro, Portugal, batizado aos 28 de julho de 1699, e Bárbara do Espírito Santo, natural da Freguesia da Campanhã, Conselho do Porto, Distrito do Porto, nascida aos 04 de dezembro de 1695, batizada aos 08 de dezembro de 1695, casados aos 26 de abril de 1727 na Freguesia de São Nicolau, Conselho do Porto, Distrito do Porto, Portugal (pais de Antônio Barbosa de Oliveira).

Termo de batismo de José Barbosa Rios:

Aos vinte e oito dias do mez de Julho do Anno de mil seis sentos e novtª e nove annos, baptizei e pus os Santos Oleos a JOZEPH, fº de Izabel, solteira, moradora no lugar de Piquotas, e deo por Pay a Manoel Vellozo de S. Martinho: Forao P.D Bartholomeu Frs, o Novo, e Antonia em Piquotas, todos desta Fregª de Sam Martinho de Sardoira; fiz este assento na era ut supra. O Pe. Francisco Ribeyro. (Livro de Batizados (1683-1720) da Freguesia de São Martinho de Sardoura, Conselho de Castelo de Paiva, Distrito de Aveiro, Portugal, p. 26).

Termo de batismo de Bárbara do Espírito Santo:

BARBARA, filha de Estevam de Olivrª e de sua m.er Marinha Godinha, da Aldea da Noeda, naceo aos 4 de dezembro baptizou o Rdº Pe. Francº Frs Reitor poncionario de minha comissam. Foram padrinhos Bras de Almeida Ptº soltrº filho de Antº de Almdª Ptº do Padram de Velmont, e D. Izabel Mª Prestello Brandam desta frgª. Assistiram testªs Luis Ferreira de Macedo, e Pº soltrº de Godin, hoje 8 de dezbrº de 1695. O Rector Domingos Frs. Luís Ferrª Pº soltrº. (Livro de Batizados (1673-1712) da Freguesia de Campanhã, Conselho do Distrito do Porto, Portugal, p. 96).

Termo de casamento de José Barbosa Rios e Bárbara do Espírito Santo:

Aos vinte e seis dias do Mes de Abril do anno de mil sete centos vinte sete nesta Parochial Igreja de S. Nicolao desta Cidade do Porto pelas sinco horas da tarde contrahirão o sacramento do Matrimonio por palavras de prezente em minha prezença e das testemunhas abaixo com banhos correntes corridos onde hirão obrigados, e tudo na forma do Sagrado Concilio Tridentino, e Constituição deste Bispado, e sem impedimento algum, e juntamente apresentarao húa sentença de sua santidade, e breve de dispensassão no parentesco q entre os contrahentes abaixo havia de segundo grau de affinidade e forao julgadas as premissas diante do Ordinario de Braga e cumprida a dita Sentença pelo Muito Reverendissimo Senhor Governador deste Bispado do Porto de que foi Escrivão em Braga Manoel da Silva Teixeira, Notario Apostólico que serve de escrivão do Appostolico, e assignado pelo Muito Reverendo Agostinho Marques do Couto Provisor e Juiz Appostolico em que o julgou dispensados para poderem casar cuja sentença entreguei a contrahente e se assignou Jozé Barbosa Rios, filho de Manoel Veloso e de Isabel Barboza, solteira já defunta da Freguezia de São Martinho da Sardoura Bispado de Lamego com Bárbara do Espírito Santo, filha legitima de Estevão de Oliveira e de Maria Godinha da Freguesia de Campanhã deste Bispado, e viuva q ficou de Antonio Barboza Rios filho legitimo de Manoel Barbosa, já defunto, e de Clara Barbosa, da Freguesia de Santa Clara do Torrão deste Bispado, e o dito contrahenteassima era primo direito do primeiro marido da dita contrahente ficando parentes no segundo grau de affinidade e consanguinidade, e eu lhes assisti ao recebimento e os ditos contrahentes moradores na Fonte de Ouviera desta freguezia de São Nicolau, e fis este termo que assignei com os contrahentes e as testemunhas abaixo. Porto, dia Mez e anno ut supra. Jozé Maria Godinho. Coadjutor. Jozé Barbosa Rios, A rogo da Sobredita Policarpo da Costa Braga Como ttªs Goalter de Horfans Soares. Antonio Frs da Silva. Domingos Frrª. (Livro de Casamentos (1724-1743) da Freguesia de São Nicolau, Conselho do Porto, Distrito do Porto, Portugal, p. 33 e 33v).

7.2- Luiz de Souza e Vasconcelos, natural da Freguesia de Santo Antônio do Além Carmo da Bahia, batizado aos 09 de junho de 1708, e Maria da Silva Barbosa, natural da Freguesia de Santa Sé da Bahia, batizada aos 04 de novembro de 1705, casados aos 19 de janeiro de 1728 na Igreja de Santa Misericórdia de Salvador – BA (pais de Ana Maria de Souza).

8- Trisavós maternos de Ruy Barbosa:

8.1- João Vicente de Almeida e Francisca de Siqueira (pais de Caetano Vicente de Almeida).

8.2- Tomé de Abreu e Maria Quaresma Antunes (Pais de Joana Tereza de Jesus).

8.3- Antônio Barbosa de Oliveira, natural da Freguesia de São Nicolau da cidade do Porto, e Ana Maria de Souza, natural da Freguesia da Sé de Salvador – BA (pais de Rodrigo Antônio Barbosa de Oliveira Filho).

8.4- João Soares Nogueira, Capitão de Infantaria do Primeiro Regimento, natural da Freguesia de São Pedro Velho, batizado aos 04 de dezembro de 1731, e Joana Teodora de Oliveira Serpa, natural da cidade da Bahia, batizada aos 25 de julho de 1750, casados aos 25 de agosto de 1767 na Matriz de Santo Antônio de Além do Carmo (pais de Inácia Joaquina Soares de Oliveira Serpa).

9- Tetravós paternos de Ruy Barbosa:

9.1- Manoel Veloso e Isabel Barbosa, solteira, batizada aos 04 de agosto de 1672, naturais de Aveiro, Portugal (pais de José Barbosa Rios).

Termo de batismo de Isabel Barbosa:

Aos coatro de agosto de 1672 Baptizei eu o Pe. Antonio de Oliva a Isabel, fª de M.el Frs Pedreiro e de sua m.er Mª Barboza. Forao PadrinhosAntonio Mendes de S. Martº e Izabel, fª de Mª Duarte de Picotas era ut supra. O Pe. Antº de Oliva. (Livro de Batizados (1624-1698) da Freguesia de São Martinho de Sardoura, Conselho de Castelo de Paiva, Distrito de Aveiro, Portugal, p. 38).

9.2- Estevão de Oliveira, natural do lugar da Oliveira, Freguesia de Santo Adriam do Sul, Distrito de Viseu, Portugal, e Marinha Godinha, natural da Freguesia da Campanhã, Conselho do Porto, Distrito do Porto, Portugal, casados aos 05 de junho de 1689 na Freguesia de Campanhã (pais de Bárbara do Espírito Santo).

Termo de casamento de Estevão de Oliveira e Marinnha Godinha:

Estevão de Oliveira, filho de Diogo de Oliveira e de Maria de Figueiredo, não cazados, moradores que foram na Fregª de Sancto Adrian do sul do lugar de Olivrª do Bispado de Viseu, com Marinha Godinha, filha de Domingos Pereira da Cruz, da Cidade de Lamego, e de Maria Godinha, moradora na Fregª de Sancta Maria da Campanhã na Aldea da Noeda, não cazados deste Bispado do Porto, feitas todas as diligencias de parte a parte sm impedimtº se receberam em minha prezença e das testemunhas André Mis da Noeda e Martinho Gomes, e Dºs Martins, André Ribrº e Dºs Glz, todos de Noeda hoje 5 de junho de 1689. O Reytor Domingos Frs. (Livro de Casamentos (1675-1722) da Freguesia da Campanhã, Conselho do Porto, Distrito do Porto, Portugal, p.235 e 235 v).

9.3- Antônio Jorge, natural da Freguesia de Lordelo do Ouro, Conselho do Porto, Distrito do Porto, e Maria da Costa, natural do Estado da Bahia (pais de Luiz de Souza e Vasconcelos).

9.4- José da Costa Barbosa, natural da Freguesia de Nossa Senhora da Encarnação do Passe de Candeias – BA, e Paula de Faria da Silva, natural da Freguesia de São Salvador de Moreira, Conselho da Maia, Distrito do Porto (pais de Maria da Silva Barbosa).

10- Tetravós maternos de Ruy Barbosa:

10.1- José Barbosa Rios e Bárbara do Espírito Santo, naturais de Portugal (pais de Antônio Barbosa de Oliveira).

10.2- Luiz de Souza e Vasconcelos e Maria da Silva Barbosa (pais de Ana Maria de Souza).

10.3- Cristovão Soares Nogueira, natural da Freguesia de Santa Maria Madalena de Seixo, Conselho de Sernancelhe, Distrito de Viseu, batizado aos 22 de agosto de 1699, e Antônia Isidora Rodrigues, natural da Freguesia de São Pedro Velho da cidade da Bahia, batizada aos 16 de setembro de 1709 (pais de João Soares Nogueira).

10.4- Luiz de Souza Guimarães, que era natural da Freguesia de Nossa Senhora da Oliveira, Distrito de Guimarães, Portugal, e Tereza Maria de Freitas, natural da Freguesia de Nossa Senhora da Conceição da Praia de Salvador – BA, casados aos 14 de novembro de 1741 no Oratório de Recolhimento da Santa Casa de Misericórdia de Salvador – BA (pais de Joana Teodora de Oliveira Serpa).

11- Pentavós paternos de Ruy Barbosa:

11.1- Manoel Fernandes e Maria Barbosa, casados aos 28 de agosto de 1663 na Freguesia de São Martinho de Sardoura, Conselho de Castelo de Paiva, Distrito de Aveiro, Portugal (pais de Isabel Barbosa).
Termo de casamento de Manoel Fernandes e Maria Barbosa:

Em os vinte e outo dias do mes de Agosto de 663 annos se receberam em minha prezença M.el Frs filho de Melchior Frs e de sua molher Catrina João, da frgª de Moreira, Bispado do Porto, com Maria Barboza, filha de M.el Barbosa e de Isabel Prª da frgª de S. Martinho, Bispado de Lamego, estando presentes tres tªs e mais prezentes estavao por pessoas na verdade fis este Asento na verdade oje dia mes era ut supra. O Pe. Cura Balthasar Velho. (Livro de Casamentos (1624-1698) da Freguesia de São Martinho de Sardoura, Conselho de Castelo de Paiva, Distrito de Aveiro, Portugal, p. 53v).

11.2- Diogo de Oliveira e Maria de Figueiredo, solteiros, naturais de Portugal (pais de Estevão de Oliveira).

11.3- Domingos Pereira da Cruz, natural de Lamego, Distrito de Viseu, Portugal, e Maria Godinho, natural da Freguesia da Campanhã, Conselho do Porto, Distrito do Porto, solteiros (pais de Marinha Godinho).

11.4- Agostinho Jorge e Margarida Antônia, naturais de Portugal (pais de Antônio Jorge).

11.5- Pedro de Molim (pai de Maria da Costa).

12- Pentavós maternos de Ruy Barbosa:

12.1- Manoel Veloso e Isabel Barbosa, solteira, naturais de Aveiro, Portugal (pais de José Barbosa Rios).

12.2- Estevão de Oliveira e Marinha Godinha, naturais de Portugal (pais de Bárbara do Espírito Santo).

12.3- João Soares e Luíza Gomes, naturais de Portugal (pais de Cristovão Soares Nogueira).

12.4- Sargento Mor Francisco Rodrigues e Maria do Ó Correia e Azevedo (pais de Antônia Isadora Rodrigues).

12.5- Mateus Fernandes e Margarida Machado, naturais de Guimarães, Portugal (pais de Luiz de Souza Guimarães).

12.6- Luiz Carneiro de Freitas e Caetana Maria de Oliveira (pais de Tereza Maria de Freitas).

13- Hexavós paternos de Ruy Barbosa:

13.1- Melchior Fernandes e Catarina João, casados aos 23 de janeiro de 1633 na Freguesia de Moreira, Conselho da Maia, Distrito do Porto, Portugal (pais de Manoel Fernandes).

Termo de casamento de Melchior Fernandes e Catarina João:

Em os vinte e tres dias de janeiro de 1633 se receberao em presença do Pe. Frcº da Costa nesta Igreja de Salvador de Mrª na forma do Sagrado Concilio Trid. Melchior Frs, fº de M.el Dias e de Phelipa Frs já defunta da Frgª de São Martinho de Avis com Caterina João, fª de João Frcº e de Mª João da aldea da Carvalhida, tªs Eu Dºs da Silva Cura nesta Igreja, e Pallos Frs Agostinho fº de João Mrª, Paulo fº de Pallos Frs e outras mtªs dia mes e anno ut supra. Dºs da Silva. (Livro de Casamentos (1608-1653) da Freguesia de Moreira, Conselho da Maia, Distrito do Porto, Portugal, p. 171v).

13.2- Manoel Barbosa e Isabel Pereira (pais de Maria Barbosa).

14- Heptavós paternos de Ruy Barbosa:

14.1- Manoel Dias e Felipa Fernandes (pais de Melchior Fernandes).

14.2- João Francisco e Maria João (pais de Catarina João).


sexta-feira, 20 de outubro de 2017

I Encontro Monárquico do Rio Grande do Norte



No dia 25 de novembro de 2017 às 9h em Natal, o Príncipe Dom Bertrand, o Dr. José Carlos Sepúlveda e os professores Ivanaldo Santos e Anderson Tavares de Lyra ministrarão palestras por ocasião do I Encontro Monárquico do Rio Grande do Norte.

O I Encontro Monárquico do Rio Grande do Norte buscará compreender as raízes da crise de representatividade e os vícios da atual forma de governo como principal causa de todas as crises políticas e morais pelas quais passa o Brasil.

O Encontro será realizado no Auditório da Unifacex/CIC em Cidade Alta - Natal/RN, localizado na Av. Mal. Deodoro da Fonseca, às 9h da manhã do dia 25 de novembro de 2017 (sábado).

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Ancestrais dos irmãos Rodrigo de Medeiros Rocha e Sebastião de Medeiros Matos, troncos da Família Medeiros do Seridó no RN


Em artigo anterior datado de 13 de junho de 2016 apresentamos a família dos irmãos Rodrigo de Medeiros Rocha e Sebastião de Medeiros Matos com o nome de seus irmãos, agora vamos apresentar os seus ancestrais, até onde foi possível pesquisar. 

1- Rodrigo de Medeiros Rocha e Sebastião de Medeiros Matos:

O português Rodrigo de Medeiros Rocha era natural da Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca, Conselho da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, Região dos Açores, Portugal, nasceu em 21 de janeiro de 1709, foi batizado aos 26 de janeiro de 1709, veio para o Brasil, onde faleceu em 1757 com aproximadamente 48 anos de idade na região do Seridó, Estado do Rio Grande do Norte, casou por volta de 1738 no Estado da Paraíba com Apolônia Barbosa de Araújo, que era natural do Estado da Paraíba, nascida em 1714 e falecida em 28 de novembro de 1802 com 88 anos de idade.



Termo de Batismo de Rodrigo de Medeiros Rocha: Página 98v do livro de batizados (1701-1714) da Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca, Conselho da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, Região dos Açores, Portugal.

Rodrigo, filho de Manoel de Matos e de sua molher Maria de Mideiros naturais e moradores nesta freguesia do Apostolo São Pedro da Ribeira Seca, nasceo aos vinte e hum dias do mes de janrº de mil e sete centos e nove annos ( ... ) e em os vinte e seis dias do mês e era e foi batizado nesta dita Igreja Parochial de seos Pais pelo Pe. Joam de Souza Freyre Vigrº da ditta Igreja foi padrinho Manoel de Frias Pereira freguês desta freguezia. Foram testemunhas Joam da Sylva e Antonio da Sylva fregueses desta freguesia e comigo assignaram dia mês e Era ut supra em o qual fis este termo para constar. O Cura Francº de Souza da Motta. Joam da Sylva. Antonio da Sylva.

Já o português Sebastião de Medeiros Matos, que também era natural da Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca, nasceu em 19 de janeiro de 1716, foi batizado em 30 de janeiro de 1716, veio para o Brasil, e casou por volta de 1738 com Antônia de Moraes Valcácer, 2ª do Nome, irmã de Apolônia Barbosa, esposa de Rodrigo de Medeiros Rocha.

O português Sebastião de Medeiros Matos, que era o meu octavô (8º avô), faleceu em idade avançada, com pouco mais de 94 anos de idade, já que o mesmo ainda era vivo em 1810 por ocasião do inventário do seu genro Manoel Álvares da Nóbrega realizado em Santa Luzia – PB. A data de falecimento do meu octavô Sebastião de Medeiros Matos não vai ser possível ser localizada, em virtude de não existirem mais os livros paroquiais antigos da Freguesia de Patos – PB.



Termo de batismo de Sebastião de Medeiros Matos: página 12 do livro de batizados (1714-1722) da Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca, Conselho da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, Região dos Açores, Portugal.

Sebastiam, filho do Alferes Manoel de Mattos e de sua molher Maria de Mideiros todos naturaes desta freguezia, nasceo aos dezanove dias do mes de Janeiro de mil e sete centos e dezaceis foi baptizado na pia desta Parochial aos trinta dias do dito mes por mim Domingos de Souza Ambar Cura e foram padrinhos o Rdº Vigrº L.dº Joam de Souza Freyre desta freguezia e foram testemunhas Joam da Silva e Samchristam Manoel Rodrigues todos desta freguezia e para constar fis este termo em o dito dia mes era ut supra. Cura Domingos de Souza Ambar. Joam da Silva. Hed. Mel. Rodrigues.

2- Pais de Rodrigo de Medeiros Rocha e de Sebastião de Medeiros Matos:

Manoel de Matos, batizado em 02 de março de 1668 e falecido em 07 de novembro de 1729 com 61 anos de idade na Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca, Conselho da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, Portugal, e Maria de Medeiros Pimentel, batizada em 10 de janeiro de 1675 e falecida em 27 de novembro de 1734 com 59 anos, casados em 17 de junho de 1693 na Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca.

Termo de batismo de Manoel de Matos: página 10v do livro de batizados (1664-1701) da Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca, Conselho da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, Região dos Açores, Portugal.

Em os dous dias do mes de março de mil seis centos sessenta e outo annos Baptizei eu o Pe. Cura Pedro de Souza de Melo a húm menino a quem pus o nome M.el fº de Rodrigo de Matos e de Maria Lopes de Fontes sua molher foram Padrinhos Francº da Rocha fº do Capitam Matias Furtado e, Maria de Teves molher de Joao de Pimentel, da Lomba dia ut supra. O Cura Pedro de Souza de Melo

Termo de batismo de Maria de Medeiros Pimentel: página 32 do Livro de Batizados (1664-1701) da Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca.

Em os dez dias do mes de janrº de mil, seisctºs e setenta e cinco eu João de Souza Freyre Vigrº desta parochial do Apostolo S. Pº da Rª Secca Baptizei a fª de Bartolomeu de Frias, e de sua m.er Mª de Medeiros da Rocha, e foram Padrinhos Francº da Rocha seu tio, e Mª de Rezende, m.er de Antº Pacheco. era ut supra. João de Souza Freyre.

Termo de casamento de Manoel de Matos e Maria de Medeiros Pimentel:

Em os dezessete dias do Mês de junho de Mil Seis centos noventa trez annos Recebeo o R. do Ouvidor o Dºr João de Souza Freyre em face da Igrehja, avendo precedido as tres canônicas denunciações na forma do sagrado Concilio Trident. Não avendo de novo canônico impedimtº algum a  Manoel de Matos fº de Rodrigo de Matos e de sua m.er Mª de Fontes com Maria de Medeiros, fª de Bartholomeu de Frias e de sua m.er Maria de Mideiros já defunta. Forao padrinhos o Capitão Francº Tavares Homem, Antº Brum da Silveira, m.ors. na Ribeira Grande e madrinha Mª de Fontes e assistiram muitas pessoas, em dia, mes e Era ut supra. O Cura Manoel Perez de Souza.  

Termo de óbito de Manoel de Matos:

Em os sete dias do mes de novembro de mil sete centos e vinte e nove faleceo da vida prezente o alferes Manoel de Mattos homé cazado morador nesta freguezia com todos os divinos sacramtºs sendo de idade de setenta annos pouco mais ou menos não fez testamtº foi seu corpo involto em hábito de sayal e acompanhado a sepultura dos religiosos e Collegio, e mais clérigos fazem nesta freguesia e por verdade fica sepultado com sepultura da fabrica por sua alma se fez hú offício de nove licõns e se dicerão cento e dez missas, e pª constar fis este termo q assigno em o dtº dia mes e anno ut supra. O Vigrº Manoel da Costa.

Termo de óbito de Maria de Medeiros Pimentel:

Em os vinte e hú dias do mes de novembro de mil sete centos e trinta e coatro faleceo de vida prezente com todos os divinos sacramtºs sendo de idade sessenta anos pouco mais ou menos Maria de Mideyros viúva do Alferes Manoel de Mattos moradora na Lomba desta freguezia, não fez testamtº foi seu corpo involto em hábito de sayal e acompanhada dos religiosos de S. Frcº e Colegio desta Igreja, e nela sepultado em sepultura da fábrica, por sua alma se fes no dia de seu enterramtº hú oficio de nove liçõns e se dizem cem missas rezadas, pª constar fis este termo q assigno no dº dia ut supra.  O Vigrº Manoel da Costa.

3- Avós paternos dos irmãos Rodrigo de Medeiros Rocha e Sebastião de Medeiros Matos:

Rodrigo de Matos, natural de Agua do Alto, Freguesia de São Pedro da Vila Franca do Campo, Ilha de São Miguel, Portugal, nascido em 1634 e falecido em 23 de agosto de 1699 na Freguesia da Ribeira Seca, e Maria Lopes de Fontes, natural da Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca, Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, Portugal, nascida em 25 de fevereiro de 1636, batizada a 04 de março de 1636 e falecida em 08 de março de 1709 com 73 anos, casados em junho de 1667 na Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca, pais de Manoel de Matos.

Termo de batismo de Maria Lopes de Fontes:

Aos quatro dias do mes de março de mil e seis centos e trinta e seis annos baptizei a Maria de sete dias nacida fª de Gaspar Lopez e de sua molher Anna Teixrª. forao padrinhos Lucas Aº Paiva e sua molher Anna Luis. Thome Roiz.

Termo de óbito de Rodrigo de Matos:

Aos vinte e tres dias do mes de Agosto de mil e seis centos e noventa e nove Annos falisceo nesta freguezia da vida prezente Rodrigo de Matos da Lomba que tinha de idade sesenta e sinco Annos com todos os sacramtºs foi sepultado nesta igreja do Apostolo S. Pº fez testamtº em que deichou a sua molher Maria Fontes hua Capella sobre huás cazas de que hé administrador seu fº Francº de Matos e também que lhe dedicassem sessenta missas e oficio de nove lições; e por ser verdade fis e asigney hera ut supra.  O Cura M.el de Carvalho.

Termo de óbito de Maria Lopes de Fontes:

Em os outo dias do mes de Março de mil setecentos e nove annos faleceo da vida presente Maria de Fontes molher de Rodrigo de Mattos morador na Lomba de Sancta Barbara termo desta freguezia de idade de setenta e tres annos pouco mais ou menos com todos os sacramentos da Sancta Madre Igreja, foi involta em hû hábito de Sayal acompanhada a sepultura com os religiosos de Sam Francisco com o colegio nesta freguesia e mais clerigos de fora no enterro fez um solene testamento em q deichou de hû filho hû oficio de nove lições offertando com as offertas costumadas, e se he disesem cento e vinte Missas convim a saber noventa em Nossa Senhora da Conceiçam na lavoura e trinta ainda onde seus testamenteiros quizessem. E deichou mais in perpetuam Seis Mil Reis de Missas tres mil reis sobre umas casas em que vivia, e tres sobre húa vinha tida na Alagoa: e está sepultada nesta Igreja aonde era freguas de que pª constar fis este termo q. por verd.e asignei dia mês e era ut supra. O Cura Francº de Souza Mota.

4- Avós maternos dos irmãos Rodrigo de Medeiros Rocha e Sebastião de Medeiros Matos:

Bartolomeu de Frias, batizado em 30 de agosto de 1648, e Maria de Medeiros Rocha, batizada em 11 de junho de 1653 e falecida em 28 de abril de 1679 com 25 anos de idade, naturais da Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca, Ilha de São Miguel, Portugal, casados em 31 de março de 1674 na Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca, Conselho da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, Portugal, pais de Maria de Medeiros Pimentel.

Termo de batismo de Bartolomeu de Frias:

Em os trinta de Agosto de 1648 annos baptisei Eu o Pe Cura desta igreija a hú minino a que pus nome Bartholomeu fº de Antº Pachequo, e de sua molher Maria de Resendes; forão padrinhos Antº Ledo e Magdalena Carreira molher de Thome Ferras, e me asinei. Manoel da Cunha Teix.ª.

Termo de batismo de Maria de Medeiros Rocha:

Em os honze dias do mes de junho de mil, seiscentos sinquoenta e tres annos Baptisou o Pe Diogo Pimentel Thezrº nesta igreja a huá minina a qué pus nome Maria fª de Francº Lopes da Costa morador na Lomba e de Mª de Mideiros sua m.er forão padrinhos Lucas Afonso Paiva e M.ª de S. Fran.cº sua filha dia ut supra. O Cura Pedro de Sousa de Melo.

Termo de casamento de Bartolomeu de Frias e Maria de Medeiros Rocha: página 8 do livro de matrimônios (1667-1721) da Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca, Conselho da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, Portugal.

Em os trinta e hú dias do mes de marco de mil seis centos setenta e quatro annos Recebeo o Rdº Pe Vigrº Joam de Souza Freire por mandado do Rdº Ouvidor Francº de Andrada Albuquerque avendo precedido as denunciassões ordinarias conforme o sagrado Concilio Trid. não avendo canonico impedimtº a Bartholomeu de Frias fº de Antº Pacheco e de Mª de Rezendes sua molher com Maria de Medeiros Rocha fª de Francº Lopes da Costa e de Mª de Medeiros sua molher forão testemunhas o Capitão Mayor M.el de Brum e Frias, e o capitão Antº de Melo Rezendes e Hursula da Rocha molher de Salvador Frz e outras mtªs pessoas dia mes e era assima. O Cura Pedro de Souza de Melo.

Termo de óbito de Maria de Medeiros Rocha:

Em os vinte, e oito dias do mes de Abril de Mil seis centos setenta, e nove annos falleceo nesta freguezia Maria de Mideiros Molher de Bartholomeu de Frias. Recebeo os divinos sacramentos. Está enterrada nesta Igreja. Fes testamento seu marido testamenteiro. Era ut supra. Cura Manoel Perez e Souza.

5- Bisavós paternos dos irmãos Rodrigo de Medeiros Rocha e Sebastião de Medeiros Matos:

5.1- Manoel de Matos e Maria do Amaral, casados aos 08 de março de 1627 na Freguesia de São Miguel de Vila Franca do Campo, Ilha de São Miguel, moradores na Freguesia de Água do Alto, Vila Franca do Campo, pais de Rodrigo de Matos.

Termo de casamento de Manoel de Matos e Maria do Amaral:       
     
Em os outo dias do mes de março de seis centos e vinte e sete Recebeo o Pe. Raphael de Munhoiz de licença in face eclesie precedendo primrº as tres admoestassois conforme o Sagrado Concilio Tridentino a M.el de Matos fº de Gonssalo Vas e de Clara de Matos, com Mª Damaral fª de Diogo Lopez d´Amaral e de Mª Luís. Forao testemunhas Frcº da Ruda da Cunha e Antonio Favella da Costa, e Vitoria de Teve, digo, Ines Ferreira, e dona Maria. Frcº Roiz Fagundes.

5.2- Gaspar Lopes, falecido aos 05 de fevereiro de 1676, e Ana Teixeira, batizada aos  24 de setembro de 1607 e falecida aos 09 de março de 1648 com 40 anos, casados a 07 de maio de 1628, pais de Maria Lopes de Fontes.

Termo de batismo de Ana Teixeira: 

Aos vinte e quatro dias do mes de setembro de 607 baptizei a Frcº e Anna fºs de Mel Vidal e de Izabel Teixrª sua molher. Forao padrºs de Frcº , Antº Munis e Ines Alz, e de Anna, Gªr de Paiva, e a dita Ines Alz. Montrº.

Termo de casamento de Gaspar Lopes e Ana Teixeira:

Aos sete dias do mês de Maio de seiscentos e vinte e oito annos recebi em face de Igrª na forma do sagrado concilio Trident. Tendo precedido as dinunciaçõens ordinárias a Gaspar Lopes fº de Antº Glz e de sua molher Maria da Aguiar já defuncta moradores no lugar da Maia com Anna Teixeira fª de M.el Vidal já defuncto e de sua molher Izabel Teixrª moradores nesta fregª de São Pº de ribrª seca, forão testemunhas Chistovão Aº Paiva, e Thomé Jorge Paiva mor.s na Vila da ribrª grande, e Sebastião Furtado, e outras pªs. Thomé Ruiz.

Termo de óbito de Gaspar Lopes:

Em os cinco dias do Mes de Fevereiro de Mil Seis centos setenta e seis. Faleceo nesta freguezia Gaspar Lopes Galante, ná lomba mºr. Recebeo os divinos sacramentos está Enterrado nesta Igreja; fes cédula seu filho Manoel Lopes testamenteiro: era ut supra. Cura Manoel Perez e Souza.

Termo de óbito de Ana Teixeira:

Em os nove dias do mes de mçº de mil e seis ctºs e quareta e oito morreo Anna Trxª m.er de Gaspar Lopes Galante da lomba recebeo todos os sacramtºs teve seus sufrágios os fis em q He verdade dia ut supra. Senra.

6- Bisavós maternos dos irmãos Rodrigo de Medeiros Rocha e Sebastião de Medeiros Matos:

6.1- Antônio Pacheco de Medeiros, natural da Freguesia do Rosário, Conselho da Lagoa, Ilha de São Miguel, batizado em 26 de março de 1617, e Maria de Rezende de Vasconcelos, natural da Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca, Conselho da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, nascida provavelmente em 1626 e falecida em 16 de fevereiro de 1690, casados em 04 de Outubro de 1647, na Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca, pais de Bartolomeu de Frias.

Termo de batismo de Antônio Pacheco de Medeiros:

Em os 26 dias do mes de Marso de 617 annos baptizou ho Pe Simão Luis a Antº fº de Amaro Pacheco e de sua m.er Ines de Midrºs. forao Padrinhos M.el de Frias e Mª Alves, m.er de Fernão de Olivrª.  Chrisostomo.

Termo de óbito de Maria de Rezende de Vasconcelos:

Em os dezasseis dias do Mes de Fevrº de seis centos e noventa annos faleceo nesta freguezia digo na Lomba desta freguezia Mª de Resendes m.er de Antº Pacheco. Recebeo todos os divinos sacramtºs está enterrada nesta Igreja. Não fes testamtº. O Cura Manoel Perez e Souza.

Termo de casamento de Antônio Pacheco de Medeiros e Maria de Rezende de  Vasconcelos:

Em os quatro dias do mes de 8.bro do Anno de mil e seis c.tºs e quarenta e sete Annos recebeo o P.e Diogo de Pimentel in facie dotrina  (...)  Conc. Trid. a   Antonio Pachequo de Mideiros filho de Amaro Pachequo e sua m.er Ines de Frias de Mideiros moradores na freigesia de Nossa Snora do Rosario da Villa da Lagoa Com MARIA REZENDE DE VASCONCELLOS filha de M.el d'Oliveira de Vasconcellos e sua m.er Isabel Rezende Pimentel ja defuntos moradores nesta freiguesia. Testemunhas Sebastiao Pires Pimentel e Frcº Cansado da Lagoa, Pelonia digo Margarida Cabeceiras m.er de Fcº Aº e a mai do Contrahente e outra Margarida os fis em face da verdade dia mes e era ut supra.  João Gonçalves.

6.2- Francisco Lopes da Costa, natural da Freguesia de Nossa Senhora da Estrela, Conselho da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, batizado a 08 de janeiro de 1623 e falecido em 12 de agosto de 1680 com 57 anos de idade, e Maria de Medeiros, natural da Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca, Conselho da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, nascida em 27 de março de 1627, batizada a 04 de abril de 1627, e falecida em 29 de setembro de 1676 com 49 anos de idade, casados em 15 de outubro de 1650, pais de Maria de Medeiros Rocha. 

Termo de batismo de Francisco Lopes da Costa:

Em os oito de janrº de 623 Eu baptizei a Frcº fº de Frcº Lopes e de sua m.er Barbara Teixrª. forao padrinhos Pº da Ponte Raposo e dona Mª da Ponte. E asinei.  Lçº de Sáa. 

Termo de batismo de Maria de Medeiros:

Aos quatro dias de Abril de seiscentos e vinte, e sete fes o Pe. Vrº. Frcº Dias Caiado o officio do batismo a Maria, de oito dias nacida, por ser baptizada em casa pela parteira Mª Alves, fª de M.el da Rocha Machado, e de sua molher Breitis Furtada. forão padrinhos Dºs da Silva e Breitis Afonso molher de Baltazar Mis e asinei. O Cura Thome Roiz

Termo de casamento de Francisco Lopes da Costa e Maria de Medeiros:

Em os quinze dias de Outubro de mil seis centos e sinquoenta annos Recebi Eu o Pe Pº de Sousa de Melo Cura nesta igreija a Francº Lopes fº de Francº Lopes e de Barbara Teixrª sua m.er ja defunctos moradores q forao na Villa com M.ª de Mideiros fª de M.el da Rocha, e de Breatiz Furtada sua m.er da Lomba forao t.ªs Thomé Jorge Paiva e Lucas Afonso Paiva e M.ª P.rª m.er de Bento Frª da Costa, Apolonia Cabisseiras m.er de M.el de Mideiros Lomba e muitas outras pessoas que fis na verdade dia ut supra.   Pedro de Sousa de Melo.

Termo de óbito de Francisco Lopes da Costa:

Em os doze dias do Mes de Agosto de Mil Seis centos, e outenta annos faleceo nesta freguezia Francisco Lopes da Costa viúvo recebeo todos os divinos sacramentos. Está enterrado nesta Igreja: fes testamento deixou Legado perpetuo sobre onze alqueires de terra. Seu genro Bartholomeu de Frias testamentrº. Era ut supra. O Cura Manoel Perez e Souza.

Termo de óbito de Maria de Medeiros:                                                                                                              
Em os vinte e nove dias do Mes de septembro de Mil seis centos setenta, e seis faleceo nesta Freguezia Maria de Medeiros molhér de Francº Lopes da Costa mor.es na Lomba recebeo todos os divinos sacramentos, está enterrada nesta Igreja: fes testamtº com seu marido deixou perpetua sobre sua terça seu marido testamtrº dia ut supra. O Cura Manoel Perez e Souza.

7- Trisavós paternos dos irmãos Rodrigo de Medeiros Rocha e Sebastião de Medeiros Matos:

7.1- Gonçalo Vaz e Clara de Matos, casados aos 11 de junho de 1596 na Freguesia de São Pedro, Conselho de Vila Franca do Campo, Ilha de São Miguel, pais de Manoel de Matos.

Termo de casamento de Gonçalo Vaz e Clara de Matos:

Em os onze dias do mez de junho de mil quinhentos e noventa e seis recebi eu Vigario, a Gonçalo Vaz, filho de Diogo Álvares, defuncto, e de Clara Gonçalves, com Clara de Mattos, filha de Pedro Ennes, e de sua mulher, moradores na Villa da Lagoa. Foram testemunhas Felippe de Quental, Francisco Machado, Francisco de Teves, Gregorio Dias, Simão Gonsalves, e outros. E por verdade assignei era ut supra. Balthasar Fagundes.

7.2- Diogo Lopes do Amaral e Maria Luiz, moradores que foram em Vila Franca do Campo, Ilha de São Miguel, Portugal, pais de Maria do Amaral.

 7.3- Antônio Gonçalves e Maria de Aguiar, moradores na Freguesia da Maia, Conselho da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, pais de Gaspar Lopes.

7.4- Manoel Vidal, falecido em 09 de abril de 1616, e Isabel Teixeira, falecida em 16 de outubro de 1665, casados aos 25 de maio de 1596 na Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca, Conselho da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, pais de Ana Teixeira.

Termo de casamento de Manoel Vidal e Isabel Teixeira:

A 25 de maio de 96 Recebi a porta da igreja a Manuel Vidal, fº de Jmº F.es Vidal e de Maria F.es, sua M. com Isabel Teixeira fª de Gaspar Teixeira já defuncto, e de Magdª de Fontes sua molher moradores nesta Freiguesia. Forão tªs Fcº Tavares, Jmº Perª Monis e sua m. e Sebastião Álvares, e outras pessoas. Manuel Ruis

Termo de óbito de Manoel Vidal:

Aos nove dias do Mes de Abril de 616 faleceo M.el Vidal. Não fes testamtº. Montrº.

Termo de óbito de Isabel Teixeira:

Em os dezeseis dias do mes de outubro de mil seis centos e sessenta e sinco Annos faleceo Isabel Teixrª viuva de M.el Vidal da Lomba. Recebeo os Divinos Sacramtºs de comunhão. Não recebeo o da extrema unção pello seu estado. Está enterrada em Santa Barbara. Teve duas missas dia ut supra.  Souza.

8- Trisavós maternos dos irmãos Rodrigo de Medeiros Rocha e Sebastião de Medeiros Matos:

8.1-  Amaro Pacheco, falecido em 17 de Dezembro de 1662 na Vila da Lagoa (Rosário), Ilha de São Miguel, Portugal, e Inês de Frias de Medeiros, falecida em março de 1664, casados em 08 de outubro de 1609 na Igreja da Vila da Lagoa na Freguesia do Rosário, Conselho da Lagoa, Ilha de São Miguel, pais de Antônio Pacheco de Medeiros.

Termo de casamento de Amaro Pacheco e Inês de Frias de Medeiros:  página 13 do livro de matrimônios do período de 1594 a 1683 da Freguesia de Nossa Senhora do Rosário, Conselho da Lagoa, Ilha de São Miguel, Região dos Açores, Portugal.   
  
Aos 8 de outubro de 609 Recebi a face de igrª na forma do sagrado Consilio por marido e molher a Amaro Paxeco fº de Thomé Frs com Ynes de Frias  fª de Fr.cº Fagundo e sua molher Maria de Frias. Forao test.ªs M.el Pereyra Christovao Soares Manoel d'Almeida e outros (...) .Yº de Guouvea. (?).     
      
Termo de óbito de Amaro Pacheco: página 64 do Livro de óbitos do período de 1594 a 1677 da Freguesia do Rosário, Conselho da Lagoa, Ilha de São Miguel, Açores, Portugal.

No anno do sºr, de mil seisctºs e sesenta e dous annos aos desasete dias do mês de Dez.brº fallesceu Amaro Pachequo desta freyguezª, tomou os s.tºs sacramtºs todos. E foi enterrado nesta Igreja em uma cova no mêo da Igreja entre as portas travessas que pagarão seus fºs por sua Alma se fes  hú offcº de três lições q seu fº soltrº pagou. O Vigrº Antº Frs Franco.

Termo de óbito de Inês de Frias de Medeiros: página 68 do Livro de óbitos do período de 1594 a 1677 da Freguesia do Rosário, Conselho da Lagoa, Ilha de São Miguel, Portugal.

No anno do sºr, de mil seisctºs e sesenta e quatro annos em os ... dias do mês de março falesceo  Ines de Frias, m.er q foi de Amaro Pachequo tomou os stºs sacramentos todos, e foi enterrada na Igreija na Cova de Frcº Fag.des seu pai, por sua alma rezou doze missas e nelle fez um offcº de três lições de São Frcº, e acompanhada dos p.es Enezes e . O Vigrº Antº Frs Franco.

8.2- Manoel de Oliveira de Vasconcelos, natural da Freguesia do Porto Formoso, Conselho da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, e Isabel de Rezende Pimentel, natural da Freguesia de Nossa Senhora da Estrela, Conselho da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, batizada aos 14 de novembro de 1574 e falecida aos 19 de março de 1640 com 65 anos de idade, casados a 29 de outubro de 1603 na Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca, pais de Maria de Rezende de Vasconcelos.

Termo de batismo de Isabel de Rezende Pimentel:

Aos 14 de novembro de 1574 baptisei a Izabel fª de Rui Glz da Loba e de Frcª M.el, e forao padrinhos Pº Alves Cabral e Margarida de Paiva m.er de Duarte Privado. O Pe. M.el Tavares.

Termo de casamento de Manoel de Oliveira de Vasconcelos e Isabel de Rezende Pimentel:

Em os 29 de Outubro de 603 recebi em face de igjª na forma do Sagrado Cº Trid. a M.el D´Oliveira fº de Matheus d´Oliveirª mºr fenais digo no Porto Formoso com Izabel de Rezende fª de Ruy Glz e de Frcª M.el mºres nesta freguesia. tªs o P.e Cura Thomé Roiz e Antº Coelho e Antº Furtado. Montrº.                                                                                    
Termo de óbito de Isabel de Rezende Pimentel:

Em os dezenove dias do mez de março de mil seis ctºs e quarenta morreo Izabel de Rezende recebeo os Sacramtºs todos está enterrada nesta igreja teve offº. Os fis ut supra.  Senra.

8.3- Francisco Lopes, batizado em 23 de outubro de 1592 e falecido em 26 de outubro de 1641 com 49 anos de idade, e a 1ª esposa Bárbara Teixeira, batizada em 24 de fevereiro de 1598 e falecida em 03 de dezembro de 1626, com 28 anos de idade, naturais da Freguesia de Nossa Senhora da Estrela, casados em 18 de setembro de 1616, na Freguesia de Nossa Senhora da Estrela, Conselho da Ribeira Grande, pais de Francisco Lopes da Costa.    
       
Termo de batismo de Francisco Lopes:

Aos 23 de outubro de 92 baptizei a Frcº fº de Migel Lopes e de Joanna Glz. Forao padrinhos Luis Botelho e Mª Dias. Guaspar Alvez.

Termo de batismo de Bárbara Teixeira:

Aos 24 dias do mes de fevereiro de 98 baptizei Barbara fª de Antº Pinhrº e de Lianor Teixrª sua mulher. Forao padrinhos Pº da Ponte e Barbara Esteves partrª. E asinei. Baltasar Glz.      
                                                             
Termo de casamento de Francisco Lopes e Bárbara Teixeira:

Em os 18 dias de setembro de 616 annos recebeo em face de igreja o p.e G.ar Alvrs Cura nesta Igreja FR.Cº LOPEZ filho de Miguel Lopez e de Joanna Glz sua m.er já defunta, com Barbara Teixeira filha de Antonio Pinheiro e de sua m.er Lianor Teixeira todos moradores nesta freg.ª, procederão [...] das denunciasõis em ambas as partes e não tiverão impedim.to algû forão presentes P.e da ponte, Miguel Lopes, Bªr Dias entre os muitos que assistiram.  Soares.

Termo de óbito de Francisco Lopes:

Francº Lopes Manquo faleceo aos 26 de outubro de 641 não recebeo os sacrametos por dis lhe não dar lugar ne fes testamento seu irmão o Pe. Pº Lopes lhe fes acopanhaméto e hú oficio de prezéte e outro de nove lisons ofertados có as ofertas ordinárias e sinquo missas das chagas e fes no abito de S. Frcº acópanhada co os religiosos e está emterrado na mesma cova de seus maiores. O prior Cabral.

Termo de óbito de Bárbara Teixeira:

03 de dezembro de 1626. No mesmo dia faleceo Barbara Pinhrª molher de Frcº Lopes e recebeo os santos sacramentos e fes húa sedola por mão de M.el do Canto aprovada por o tabeliam M.el Álvares em que mao dou ao dia do seu falicintº lhe fize se hú no turno e sinquo missas rezadas e aos outo dias hú oficio de 9 liçons e outro ao anno de 9 liçons todos ofertados co as ofertas que seu marido e testa menteiro quisese só o noturno mao não teria o feito e deixou remanisete de sua terça a sua fª e não tedo erdeiros a seu fº e morredo ambos se erdeiros em tal casa a deixa a casa da S. Mizericórdia desta Villa co emcareguo de hua missa rezada ou as obrigações que do dito testa meto constam que não estão ou é minha lembransa por ter levado o escrivão o testamento a que me reporto e está enterrada na paróquia na cova de seus maiores. Teve acópanha meto 800 res e cóprio o noturno e hu oficio de 9 liçons e deu nove alqueires de trª e o Canada de vinho e satisfes as s. missas e officio do anno. Cabral.

8.4-  Manoel da Rocha Machado, falecido aos 12 de abril de 1640, e a 2ª esposa Beatriz Furtado, falecida em 28 de março de 1658, casados aos 09 de julho de 1607 na Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca, Conselho da Ribeira Grande, pais de Maria de Medeiros.         
                                                       
Termo de casamento de Manoel da Rocha Machado com a 2ª esposa Beatriz Furtado:

Aos 9 de julho de 607 annos recebeo o Rv.dº Manoel Brito vigário e pregador desta igrª a Manoel da Rocha fº de Manoel  Roiz Rocha e de Maria Pi.s sua molher já defuncta moradores na Ribeira Seca frª do aposttollo Sam Pedro, e a Breatis Furtada fª de Manoel Roiz Furtado morador na Villa da Ribeira Grande frª de nossa snrª da esperança avendo primeiro feitas as três dennunciaçois em ambas as partes e não ouve empedimento nenhum, forão testemunhas Bruno Becudo e Amador Monteiro, Antonio Furtado, e o Pe Pdº de Ssª todos moradores  nesta e outras pesoas e asignei.  Gaspar Alves.                                                                               
Termo de óbito de Manoel da Rocha Machado:

Em os doze dias de Abril de mil e seis ctºs e quarenta morreo M.el da Rocha da Stª Barbara com todos os sacramtºs  teve offº está em terrado nesta Igreja d q pª o que fis em fé de verdade oje dia, mes, e era ut supra. Senra.

Termo de óbito de Beatriz Furtado:

Em os vinte e outo dias do mes de março de mil seis centos sinquoenta e outo annos faleceo Breatis Furtada Vª da Lomba. Recebeo os divinos Sacramtºs, da Confissão, e Extremaunção. Está enterrada nesta igreja. Teve missas e officio dia ut supra. O Cura Pedro de Souza.

9- Tetravós paternos de Rodrigo de Medeiros Rocha e Sebastião de Medeiros Matos:

9.1- Diogo Álvares e Clara Gonçalves, moradores na Ilha de São Miguel, Portugal, pais de Gonçalo Vaz.

9.2- Pedro Anes, morador na Ilha de São Miguel, pai de Clara de Matos.

9.3- Jerônimo Fernandes Vidal e Maria Fernandes, moradores na Ilha de São Miguel, Portugal, pais de Manoel Vidal.

9.4- Gaspar Teixeira, falecido em 20 de maio de 1592, e Margarida de Fontes, moradores na Ilha de São Miguel, Portugal, pais de Isabel Teixeira.

Termo de óbito de Gaspar Teixeira:

Aos vinte de maio de 92 faleceo Gaspar Teixrª da Lomba está enterradonesta Igreja. Recebeo todos os sacrmtºs. Deixou por seu testamenteiro sua m.er. Fez cedola ela mandou fazer dozes offºs e missas conforme rezadas na cedola. Em meo poder e por verdade assinei. M.el Pires de Lima.

10- Tetravós maternos dos irmãos Rodrigo de Medeiros Rocha e Sebastião de Medeiros Matos:

10.1- Tomé Fernandes Pacheco, falecido em 01 de agosto de 1613, e Catarina Fernandes, falecida aos 17 de maio de 1610, naturais da Freguesia do Rosário, Conselho da Lagoa, Ilha de São Miguel, Açores, Portugal, casados em 25 de setembro de 1565 na Freguesia de Santa Cruz, Conselho da Lagoa, Ilha de São Miguel, Portugal, pais de Amaro Pacheco.

Termo de óbito de Tomé Fernandes Pacheco:

Em o primeyro de Agosto de 613 faleseu Thome Frs Paxeco, fes seu testamento e o qual lhe fis Lucas d´Araujo scrivao da camara desta Villa e está em seu poder Luzia Paxeca fª do defunto e foi testamenteira a qual deixou sua tersa com obrigação de diser missa perpetua. Asiney 24 sup.  Yº Guovea                                                                                        
Termo de óbito de Catarina Fernandes:

Aos 17 de Maio de 610 faleceo Cnª Frs molher de Thomé Frs fes testamento e o qual está em poder do Scrivao Christovao Soares e o dito seu marido Tome Frs He seu testamenteiro, e deixou sua tersa a sua fª Luzia Paxeca co obrigação de huma missa perpetua cada anno. Yº Guovea

10.2- Francisco Fagundes, falecido aos 26 de julho de 1604, e Maria de Frias, falecida em 07 de maio de  1630, casados em 22 de janeiro de 1584 na Freguesia de Santa Cruz, Conselho da Lagoa, Ilha de São Miguel, Portugal, moradores que foram na  Freguesia do Rosário, pais de Inês de Frias de Medeiros.

Termo de Casamento de Francisco Fagundes e Maria de Frias:

Em 22 dias de janrº, era 1584 at supª depois de tres denunciaçõis passadas a forma do Sagrado Concilio recebi à porta de nosa sª do rosário ( ? ) serve ( ? ) de Matris á Frcº Fagundo e Mª de Frias por não aver impedimento algum no cazamtº. Forao tªs Cº Moniz, Pº de Faria ... ( ? ) ... Pº Glz, Gªr Mis, Jm Glz Couto ( ? ) e outros mais. Maggo (?).

Termo de óbito de Francisco Fagundes: página 5v do livro de óbitos do período de 1594 a 1677 da Freguesia do Rosário, Conselho da Lagoa, Ilha de São Miguel, Portugal.

Aos 26 de julho de 604 faleceo Francisco Fagundo morador q foi na talhada fes testamento o qual está na mão do Scrivão Christovao Soares, deixou a sua molher Maria de Frias por sua testaminteira não deixou couza perpetoa somentes seus legados para logo na forma do testm.tº.  asiney He supra. Yº de Guoveia.

Termo de óbito de Maria de Frias: página 27v do livro de óbitos do período de 1594 a 1677 da Freguesia do Rosário, Conselho da Lagoa, Ilha de São Miguel, Portugal.

Aos sete dias de Maio de seis centos e trinta Annos faleceo Maria de Frias m.er q foi de Fr.cº Fagundo já defunto com todos os sacramentos enterrada nesta igreja a entrada da porta aquela da banda do mar. Fes testamtº d q he testamenteiro seu filho Manoel de Frias solteiro não deixou nada perpetuo e asino. Pº de Ponte.

10.3- Mateus de Oliveira de Vasconcelos, natural da Freguesia do Porto Formoso,  Conselho da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, Portugal, pai de Manoel de Oliveira de Vaconcelos.

10.4- Rui Gonçalves e Francisca Manoel, moradores que foram na Ilha de São Miguel, Portugal, pais de Isabel de Rezende Pimentel.

10.5- Miguel Lopes, falecido em 19 de março de 1644, e a 1ª esposa Joana Gonçalves, falecida de parto aos 03 de outubro de 1603, casados em 25 de novembro de 1577 na Freguesia de Nossa Senhora da Estrela, Conselho da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, Portugal, pais de Francisco Lopes.

Termo de óbito de Joana Gonçalves:

Falleceo Joana Glz molher de Miguel Lopez dos foros foi somente ungida por cauza de morrer accidentalmente de parto, não fez testamento, seu marido mandou fazer hú officio de prezente trez  liçoes e aos outo dias hú de nove lições e ao anno hú de trez offertados com as offertas costumadas digo q falleceo a 3 de outubro de 1603. Gaspar Alvez.

10.6- Antônio Pinheiro, batizado em 01 de abril de 1563 e falecido em 24 de fevereiro de 1620 com 57 anos de idade, e Leonor Teixeira, batizada aos 01 de maio de 1574, casados em 28 de outubro de 1590 na Matriz de Nossa Senhora da Estrela, Conselho da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, pais de Bárbara Teixeira.   

Termo de batismo de Antônio Pinheiro:

Em o primrº de abril de 1563 annos baptizei eu M.el Tavares a Antº, fº de Frcº Pinheiro e de Briatiz Machada. E forão padrinhos Migel Tavares e João Lopes meirinho, e Vitoria da (?), e a partrª Dªs Dis oje dia mes era ut supra. Pe. Mel Tavares.

Termo de batismo de Leonor Teixeira:

Ao primeyro dia de mayo de 1574 bautizey a Lianor fª de Antº Teixrª e de Joanna de Bairos sua molher. Forão Padrinhos Tomé Teixeira e Mª Frcª. Aguostinho Tavares.

Termo de casamento de Antônio Pinheiro e Leonor Teixeira:

Aos vinte outo de outubro de noventa annos Recebeo o P.e Agostinho Tavares em face de igreija a Antonio Pinheiro filho de Fr.cº Pinheiro e de sua molher Beatris Machada ja defunta com Lianor Teixeira filha de Antonio Teixeira e de sua molher Joanna de Barros todos moradores nesta villa foram primeiro feitas as tres denunciações em ambas as partes não houve impedimento foram presentes Pedralvares Cabral Jurdão Pacheco e outras pessoas et assinei. Pe. Mattheus Nunnez.

Termo de óbito de Antônio Pinheiro:

Aos vinte e quatro dias do mês de fevereiro do anno de mil e seis centos e vinte faleceo Antº Pinheiro. Recebeo os Stºs Sacramtºs . Fes testamtº de q hé escrivão Amador Monteiro, em q manda fazer hú officio de tres lições aos outo dias. Hé sua testamenteira sua m.er Lianor Teixrª, e esta enterrado em Nossa Snora da Estrella. Chaves.

10.7- Manoel Rodrigues da Rocha, falecido em 01 de outubro de 1611 na Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca, Ilha de São Miguel, Portugal, e Maria Pires, falecida em 15 de fevereiro de 1604, moradores que foram na Freguesia de São Pedro da Ribeira Seca, Ilha de São Miguel, Portugal, pais de Manoel da Rocha Machado.

Termo de óbito de Maria Pires:

Aos 15 de fvº de 604 faleceo Mª Pis, molher de M.el Ruiz Rocha. Fez testamtº. Está enterrada nesta igrª. não fez officio. Monteiro.

10.8- Manoel Rodrigues Furtado, que foi morador na Vila da Ribeira Grande, e Beatriz Marques, pais de Beatriz Furtado. 

11- Pentavós maternos de Rodrigo de Medeiros Rocha e Sebastião de Medeiros Matos:

11.1- Pedro Lopes, falecido em 23 de setembro de 1589, e Beatriz Afonso, falecida em 29 de março de 1590, moradores que foram na Ilha de São Miguel, Portugal, pais de Miguel Lopes.

Termo de óbito de Pedro Lopes:

Aos 23 dias do mes de setembro de 89 annos faleceo Pº Lopes manhan. E não fez testameto. Seus filhos mandarão fazer dous ofícios.

Termo de óbito de Beatriz Afonso:

Breatis Aº mulher de Pº Lopes falleceo a 29 de Março de 90 annos; não fes testamtº. Seu fº Miguel Lopes lhe mandou dizer digo fazer dous officios cada hú de tres liçois pello amor de Deus e lhe mandou dizer duas missas rezadas.

11.2- Pedro Gonçalves e Guiomar Alves, moradores que foram na Ilha de São Miguel, Portugal, pais de Joana Gonçalves.

11.3- Francisco Pinheiro e Beatriz Machado, falecida em 22 de novembro de 1586, e que em 1549 já eram casados, pais de Antônio Pinheiro.

Termo de óbito de Beatriz Machado:

Faleceo Breatis Machada molher de Frcº Pinheiro aos 22 de novembro de 1586 fes testameto feito p Antº Davrº escrivão dos órfãos em q mandou fazer a seu enterramtº hú officio de 3 licoes offertado co 3 alqueres de tº e seis cªs de vº de terra, e 5 missas das Chagas e aos 8 dias outro officio como o do presente co as mesmas offertas es missas da smª tridade, outra a hora de Nosa Senrª do Rozairo, e outra a hora do Sptº Sato. E tomou frente seu marido Frcº Pinheiro.

11.4- Antônio Teixeira, o 2º do nome, natural de Viana do Castelo, Portugal, e Joana de Barros, natural da Freguesia de Nossa Senhora da Estrela, Conselho da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, Portugal, casados em 23 de julho de 1571  na Freguesia de Nossa Senhora da Estrela, Conselho da Ribeira Grande, pais de Leonor Teixeira.

Termo de casamento de Antônio Teixeira e Joana de Barros:

Aos vinte e tres de julho de 1571 Recebi em face de Igreija a Antonio Teixeira filho de Antonio Teixeira defuncto e de Eva Fernandes com Joanna de Bayrros filha de Bastião Roiz e de Illena de Bayrros sua molher todos moradores nesta villa forão primeiros amoestados na Estação tres dias de festa contínuos.  E não ouve impedimento. Estavão presentes Jorge Frz e Antonio Rabello e Domingos Rabello e outras pessoas.  Pe. Gaspar Frutuoso.

12- Hexavós maternos de Rodrigo de Medeiros Rocha e Sebastião de Medeiros Matos:

12.1- Antônio Teixeira, o 1º do nome, e Maria Eva Fernandes, moradores que foram na Ilha de São Miguel, Portugal, pais de Antônio Teixeira, o 2º do nome.

12.2- Sebastião Rodrigues, natural da Freguesia de Santíssimo Salvador do Mundo da Ribeirinha, Conselho da Ribeira Grande, Ilha de São Miguel, Açores, Portugal, e Helena de Barros, naturais de Portugal, falecida em 20 de junho de 1598, que no ano de 1544 já eram casados, moradores que foram na Ilha de São Miguel, Portugal, pais de Joana de Barros.

Termo de óbito de Helena de Barros:


Faleceo Elena de Barros aos vinte de junho de 98 e recebeo os sacramtºs da Sancta Madre igrª não fez testamtº por ser muito pobre e não ter o q testar. Duarte Lopes.