sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Manoel Joaquim Teixeira de Moura (do Arvorêdo)

Manoel Joaquim Teixeira de Moura, ou, simplesmente coronel Né do Arvorêdo, era filho do coronel Estevão Moura e de d. Maria Rosa do Rego Barros. Neto paterno do comandante Manoel Teixeira Barbosa, que foi vereador em Natal e presidente da provincia, e de Ana da Costa Vasconcelos. Neto materno do coronel Joaquim José do Rego Barros, herói revolucionário de 1817 e Maria Angélica da Conceicão.

Manoel Joaquim, Nascido no engenho Ferreiro Torto em 13 de março de 1840, casou em 1868, na capela de Santana do Ferreiro Torto, com a prima d. Tereza Josefina da Fonseca e Silva, nascida em 02 de julho de 1851, filha do coronel Luís da Fonseca e Silva e Joana Teixeira da Foncesa.

O Cel. Manoel Joaquim de Moura foi latifundiário, dono de diversas propriedades que se espalhavam pelo Rio Grande do Norte e Estados visinhos, destacando-se o engenho Arvorêdo e as fazendas Cachoeirinha e Cachoeira. Todas essas propriedades, foram vendidas ou entregues aos credores para sanar dívidas com campanhas eleitorais, em um tempo no qual gastava-se com política o patrimônio pessoal.

Foi deputado provincial em dois biênios: 1884-85; 1888-89, destacando-se nestes mandatos, seu requerimento solicitando a elevação à cidade, a então vila da Macaíba. Foi presidente da Intendência de São Gonçalo do Amarante no período de 01-01-1893 a 01-01-1896, quando passou a chefia do município para o seu sobrinho Cel. Estevão César Teixeira de Moura. Muito ligado à Macaíba, também participou algumas vezes do conselho de Intendência.

Contou-me d. Noêmia de Medeiros Moura (*1912 +2005), última moradora da praça padre João Maria, e neta de Manoel Joaquim, que o coronel era muito católico e que carregava, assim como o pai, um pedaço de madeira misturado com areia, vindos da Terra Santa.

O coronel Manoel Joaquim Teixeira de Moura, faleceu em Natal dia 10 de outubro de 1913, e, seu viúva d. Tereza Josefina, em Ceará-Mirim na praia de Muriú, no dia 09 de janeiro de 1943. Foram os seguintes os filhos deste Matrimônio;

F1 Manoel Joaquim Teixeira de Moura Filho, +1948, c.c a prima Amélia Medeiros, filha do Cel. Aureliano Medeiros e Rosa Teixeira;

F2 Maria Rosa da Fonseca Moura *1870 +1957, casou-se com o primo Jerônimo Câmara;

F3 Estevão Neto da Fonseca Moura *13-05, casado com a prima Arminda da Fonseca e Silva, +1901. E a segunda vez com Ana Araújo;

F4 Major Alfredo da Fonseca Moura, c.c a prima Maria Chambre da Fonseca e Silva;

F5 Artur Moura, c.c a prima Maria Rosa de Vasconcelos Chaves;

F6 Joana Lídia, c. com o primo Sérgio da Fonseca e Silva;

F7 Teresa de Jesus Fonseca Moura *02-04, solteira;

F8 Alice Moura, casada com o primo Gabriel Câmara;

F9 Celso Nelson da Fonseca Moura *1883 +1951, c.c Estherlita *1890 +1965, filha de Alfredo Leopoldo Raposo da Câmara e Maria Emília de Paiva Câmara;

F10 Ana da Fonseca Moura *19-04, c.c Dr. João Pinto de Abreu;

F11 Áurea Moura *28-03, c.c Francisco Xavier Pereira de Brito;

F12 Corinta da Fonseca Moura *1887 +1967, c.c Semeão de Morais Barreto;

F13 Nelson *1885 +1888;

F14 Ernestina *1880;

F15 Maria Zuzana *1894 +1894;

São descendentes diretos do casal Manoel Joaquim/Tereza Josefa, o Ministro da Saúde de Castelo Branco Dr. Raimundo de Moura Brito, o hoteleiro Fernando Paiva, o Dr. Gotardo da Fonseca e Silva, Lauro Antônio de Moura dos Santos Melo, vereador e presidente da Câmara do Natal e Dulce Arimá de Moura casada com Floriano Cavalcante..

2 comentários:

  1. .

    À paz... saudações!?

    Caro(s) Manos(s)!

    Existe imagem do Dr. Raimundo de Brito?

    Grato.

    PU1JFC
    pu1jfc@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  2. olá, anderson.
    Tudo indica que esta genealogia faz parte também de minha família. Pois tenho informação de que Raimundo de Moura Brito é meu parente paterno.
    Obrigada por esta pesquisa.
    Pretendo procurar a sede do instituto de genealogia, no qual você é sócio.
    Grata.

    ResponderExcluir