terça-feira, 1 de setembro de 2009

O casarão "A Noiva" da rua da Cruz

Figura 01


Figura 02

Em Natal, existe um antigo casarão, na rua da Conceição, que remonta ao périodo colonial do Rio Grande do Norte e que é conhecido por " A Noiva", visto que parte da estrutura do telhado desce em acentuado declive, desde a sua cumeeira até a parte inferior, lembrando a presença de um véu nupcial. Macaíba também possui um casarão com essa singularidade, e, durante os primeiros anos de sua construção, também era conhecido como "A Noiva".



O casarão da Rua Dr. Francisco da Cruz, centro de Macaíba, foi construído por volta de 1860, sendo um presente do Major Fabrício Pedroza para sua filha Guilhermina da Silva Pedroza Tavares. Com o falecimento desta, seu esposo Antônio Tavares se desfez da residência, vendendo-a ao major Heráclito de Oliveira senhor do engenho Utinga, que utilizava-o nos dias de feira e quando estava em Macaíba.



Posteriormente o casarão foi vendido ao Sr. Antônio Damasceno de Lima comerciante na cidade, permanecendo na posse de seus familiares atualmente.



O imóvel possui várias intervenções físicas, tanto internas como externamente, que demonstram bem a sucessivas temporalidades que agregam valores, situando-o como importante referência paisagística e identitária na cidade de Macaíba.



Um breve histórico dessas intervenções demonstra bem a relação do imóvel com as dinâmicas próprias da cidade. Relatos tradicionais afirmam que a edificação remonta ao fim do século XIX e que a aparência de sua fachada diferia da do registro iconográfico mais antigo conhecido (Fig. 01).



Na fotografia alguns elementos ecléticos foram incorporados á fachada, mas a proporção dos vãos ainda é a original. Na reforma acontecida em meados da década de 1930 (Fig. 02), os proprietários da casa reelaboram a fachada dentro de uma ornamentação menos rebuscada, mais geométrica, de linhas retas, com alguns escalonamentos, redistribuindo os vãos e substituindo o antigo piso por ladrilho hidráulico policromado em padrões geométricos.



Retratando fenômeno comum à periferia das áreas economicamente ativas, cidades de pequeno é médio porte tentavam acompanhar os modismos arquitetônicos, principalmente através de "maquiagens" estilísticas da fachada. A distribuição interna do imóvel e sua implantação no lote raramente sofriam modificações, mantendo intacta a espacialidade da arquitetura tradicional.



No imóvel específico, a reforma da década de 1930 ainda reformulou algumas espacialidades da casa, ao abrir na fachada uma área que matiza as relações entre o público e o privado, criando uma espécie de espaço intermediário, utilizado hora como área de "receber" ou até mesmo de "estar", reforçando uma relação entre a rua e a casa. Isso concede características peculiares ao imóvel, indicando uma interessante releitura do vocabulário "moderno" do período pelo fazer da arquitetura popular.

3 comentários:

  1. Caro Anderson!
    Que bom está compartilhando com o seu banco de pesquisa e junto poder apreender conhecimentos que fizeram a minha historia ser tão rica e que eu me sinta muito mais centrado. Vê como nada sabemos. ~Só conheciamos por casarão e hoje sei que é muito mais do que uma simples e antiga casa na Rua da Cruz.
    Abração, meu caro e que Deus continue te iluminando sempre!

    ResponderExcluir
  2. Bom dia,

    Pesquisando pela net as minhas origens (sou filho de João Damasceno de Lima Neto, este filho de João Damasceno de Lima Filho, e este, acredito ser filho de João Damasceno de Lima(não sei o nome do meu bisavô)) e sei que meu pai tem parentes em Macaíba, já os visitei inclusive, mas nada lembro, era muito pequeno. Como meus pais vieram para a Bahia antes de eu nascer, pouco sei da minha família do RN, e meu pai faleceu eu era pequeno ainda. Achei curioso o fato de ter o nome de uma rua João Damasceno Lima e isso instigou-me. Cheguei nesse post seu que fala da casa "A Noiva", comprada por Antônio Damasceno de Lima, imaginei: Será este um parente meu? Qual a história do nome da Rua João Damasceno Lima? Se você tiver essas respostas ou outras informações relcionadas, eu ficaria muito agradecido! kievdl@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. Ola! Sou Joelma Tavares da Silva neta de Francisco Tavares da silva (nascido em 1925) não sei se temos parentescos gostaria de manter contato com todos meu avo procura pela filha Teresa Tavares da Silva ela e filha de Francisco Tavares da Silva com Maria lucia Casemiro da Silva
    Meu avo completou 90 anos em 2015 e o seu último desejo antes da morte eh encontrar os filhos Maria Teresa Tavares da Silva (ou Teresa Tavares da Silva cujo ele não lembra muito bem o nome que fãs 42 anos de sumida) única coisa que ele lembra bem eh que ela tinha uma filha chamada Angela nos procuramos também por Sebastião Tavares da silva conhecida como tó
    Por favor se alguem sobre algo entrem em contato comigo quero realizar muito esse desejo do meu avo muito obrigada bjos qualquer coisa me liguem pfv (17) 992022616 ou (17) 33611077

    ResponderExcluir