quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Ancestralidade judaica dos Medeiros do Seridó provada


Sabemos que o Seridó (região geograficamente situada entre o Rio Grande do Norte e a Paraíba) possui raízes judaicas e que o Prof. Marcos Filgueira publicou a ligação entre Caetano Dantas Correia e Clara Afonso, de Barcelos, filha de Junca Montezinho e Micol, entre tantos outros ramos ainda mais expressivos no seu renomado livro “Os judeus foram nossos avós”. Exímio pesquisador há décadas, sempre ético, disponibilizou inclusive gratuitamente essa grande obra.

Muitos potiguares descendentes da família Medeiros do Seridó podem requerer reconhecimento de sua ascendência judaica e obter as cidadanias portuguesa e espanhola. Os trâmites são os seguintes: Depois de fazer o levantamento da árvore genealógica que chegue a um judeu processado, é necessário elaborar um relatório com as provas documentais de cada antepassado. Envia-se este relatório para uma comunidade judaica em Portugal (visitem: www.cilisboa.org), se aprovado, obtêm-se um certificado. De posse do certificado, dá entrada na conservatória de registros de Portugal para obter a cidadania. Particularmente, esclareço, devido aos muitos emails que tenho recebido, que não trabalho com levantamento de árvore genealógica, mas existe muitas pessoas que empenham-se no levantamento dos dados genealógicos.

Em 2017 escrevi e publiquei em meu blog um artigo intitulado “Ancestrais dos irmãos Rodrigo de Medeiros Rocha e Sebastião de Medeiros Matos, troncos da Família Medeiros do Seridó no Rio Grande do Norte" http://www.historiaegenealogia.com/2017/09/ancestrais-dos-irmaos-portugueses.html e prosseguimos nas buscas e conseguimos localizar um documento fundamental, e que prova a ancestralidade judaica dos Medeiros do Seridó. O documento é acessível gratuitamente, online, através do site da Torre do Tombo: https://digitarq.arquivos.pt/details?id=2306810





Trata-se do PROCESSO POR CRIME DE JUDAÍSMO DE ÁGUEDA MONIZ, sobrinha de BEATRIZ MARQUES, TETRAVÓ de RODRIGO DE MEDEIROS ROCHA e de SEBASTIÃO DE MEDEIROS MATOS, PATRIARCAS DOS MEDEIROS DO SERIDÓ.

Logo abaixo encontra-se a linha ascendente dos irmãos Rodrigo e Sebastião de Medeiros até Beatriz Marques já descrita há muitas décadas por Gaspar Frutuoso em “Saudades da Terra” e publicada posteriormente por José Augusto Bezerra de Medeiros em seu livro “Seridó”.


Beatriz Marques
(cristã-nova, irmã de Elvira Marques e tia materna de Águeda Moniz)
Beatriz Furtado
Maria de Medeiros
Maria de Medeiros Rocha
Maria de Medeiros Pimentel
Rodrigo de Medeiros Rocha e Sebastião de Medeiros Matos

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

Subsídios genealógicos da professora Isabel Gondim


A professora Isabel Gondim nasceu aos 05 de julho de 1839 em Nísia Floresta – RN e faleceu solteira, aos 10 de junho de 1933, com 93 anos de idade em Natal – RN, estando sepultada no Cemitério do Alecrim. Segue o seu termo de batismo:

Aos vinte de janeiro de mil oito centos e quarenta nesta Matriz de Nossa Senhora do Ó de Papari baptisei com os Santos Oleos a Isabel branca de seis meses filha legitima de Urbano Egide da Silva Costa Gondim d´Albuquerquee Isabel Deolinda de Mello de Albuquerque Gondim; foram padrinhos André de Albuquerque Maranhão e Jozéfa Lourença de Mello Bezerra. Para constar mandei fazer este assento em que me assigno. O Vigrº Francº M.el Maciel. (Livro de Batizados de 1839 a 1841 da Freguesia de Nossa Senhora do Ó de Papari - Nísia Floresta – RN, p. 25).


Pais de Isabel Gondim:

Urbano Egide da Silva Costa Gondim de Albuquerque, nascido no dia 01 de setembro de 1808, batizado em 08 de setembro de 1808 na Freguesia do Santíssimo Sacramento de Recife/PE, e Isabel Deolinda de Melo Borges, casados aos 29 de setembro de 1836, em Oratório Privado de residência das casas de residência de Ana Xavier Carneiro em Papary/RN.

O termo de batismo de Urbano Egide da Silva Costa Gondim de Albuquerque encontra-se na página 138 do livro de batizados do período de 1805 a 1812 da Freguesia do Santíssimo Sacramento de Recife/PE, sendo padrinhos José Francisco da Silva e a esposa Maria Francisca de Almeida.

O casamento dos pais de Isabel Gondim foi celebrado pelo Pe. Francisco Manoel Maciel, sendo testemunhas André de Albuquerque Maranhão e Inácio de Albuquerque Maranhão. O termo de casamento está localizado a página 2 do livro de matrimônios (1835-1848) da Paróquia de Nossa Senhora do Ó de Nísia Floresta/RN.

Avós paternos de Isabel Gondim:

Joaquim da Costa Moreira, natural da Freguesia de São Sebastião de Cernache do Bonjardim, Conselho de Sertã, Distrito de Castelo Branco, nascido aos 31 de março de 1769, batizado aos 08 de abril de 1769, e Joaquina Maria Gondim de Albuquerque, natural da Freguesia de São Pedro Gonçalves, Recife/PE.

Avós maternos de Isabel Gondim:

Ana Joana Xavier Carneiro.

Bisavós paternos de Isabel Gondim:

Anastácio Moreira de São Bento, nascido aos 21 de março de 1736, batizado aos 31 de março de 1736, e Maria Felizarda, nascida aos 28 de junho de 1747, batizada aos 16 de julho de 1747, naturais da Freguesia de Cernache do Bonjardim, Conselho de Sertã, Distrito de Castelo Branco, Portugal, pais de Joaquim da Costa Moreira.

Francisco Xavier da Cruz e Catarina dos Anjos Silva, pais de Joaquina Maria Gondim de Albuquerque.

Trisavós paternos de Isabel Gondim:

Manoel da Costa e Anastácia da Silva, pais de Anastácio Moreira de São Bento.

João da Silva e Felizarda Tereza de Jesus, casados aos 03 de agosto de 1744 na Freguesia de Cernache do Bonjardim, Conselho de Sertã, Distrito de Castelo Branco, pais de Maria Felizarda.

Tetravós paternos de Isabel Gondim:

Inácio da Costa e Cristina Gonçalves, naturais da Freguesia de São Tiago, Distrito do Porto, Portugal, pais de Manoel da Costa.

Cosme Moreira, natural da Freguesia de Salvador da Moreira, Conselho da Maia, Distrito do Porto, e Natália da Silva, casados aos 31 de março de 1704, na Freguesia de Cernache do Bonjardim, pais de Anastácia da Silva.

Manoel Lopes, natural do casal de Borrales da Ribeira Sardes, e Madalena Themudo, natural da Freguesia de Aguda, Conselho de Figueiró dos Vinhos, Distrito de Leiria, casados aos 28 de setembro de 1700, na Freguesia de Cernache do Bonjardim, pais de João da Silva.

João Lopes e Leonarda da Silva, do Outeiro do Pampilhal, casados aos 12 de junho de 1718 na Freguesia de Cernache do Bonjardim, pais de Felizarda Tereza de Jesus.

Pentavós paternos de Isabel Gondim:

Domingos Gonçalves e Maria Francisca, naturais da Freguesia de São Salvador da Moreira, pais de Cosme Moreira.

Domingos Rodrigues e Maria de Nazaré, pais de Natália da Silva.

Manoel da Costa e Antônia Lopes, casados aos 21 de agosto de 1685, na Freguesia de Cernache do Bonjardim, pais de Manoel Lopes.
Manoel João e Domingas Themudo, casados aos 03 de agosto de 1669, na Freguesia de Aguda, Conselho de Figueiró dos Vinhos, Distrito de Leiria, Portugal, pais de Madalena Themudo.

Domingos Lopes e Maria dos Ramos, pais de João Lopes.

Manoel Antunes e Maria da Silva, pais de Leonarda da Silva.

Hexavós paternos de Isabel Gondim:

Jerônimo da Costa e Luzia Fernandes, naturais da Freguesia do Espírito Santo do Castelo, Portugal, pais de Manoel da Costa.

Gaspar Lopes e Maria Lopes, pais de Antônia Lopes.

Manoel João e Margarida Simões, pais de Manoel João.

Simão Álvares e Maria Diniz, pais de Domingas Themudo.

Domingos Antunes e Lucrécia da Costa, pais de Manoel Antunes.

Paulo Simões e Maria Ferreira, de Pampilhal, pais de Maria da Silva.